12
Jan 08

 

Punk: Inglaterra, 1976/77, feios, porcos e maus uma época de loucuras e revoltas juvenis.

publicado por José Manuel Faria às 19:34

5 comentários:
Cá vai o chavão: Punk is not dead.
Marco Gomes a 12 de Janeiro de 2008 às 20:48

Never.
José Manuel Faria a 12 de Janeiro de 2008 às 21:22

Ao contrário do que muita gente pensa, o Punk não era uma "cambada de marados" drogados, anarcas e inóquos no pensamento.
Não se confunda aqui, punks com skin-heads.
O verdadeiro movimento punk tinha uma consciência anti-sistema e era essencialmente um movimento de protesto contra esse mesmo sistema. Dentro dessa consciência, uns advogavam que se devia destruir tudo, quebrar todas as regras e dessa forma hostilizar "a merda de sociedade que nos querem impôr", peço desculpa pela linguagem mas esta a expressão utilizada no meio.
Outros mais politizados, tinham uma forma diferente de encarar o protesto. Assumindo a mesma rebeldia, conjugavam-na com uma atitude positiva e advogavam que existe uma alternativa que conduza à justiça e à igualdade social e de direitos.
Acima de tudo, o movimento punk foi - não sei se ainda o é, ou até se ainda existe - uma atitude de revolta. Atitude de revolta contra contra aquilo que ainda hoje marca a sociedade mundial: exclusão social, os direitos, oportunidades e tratamento desigual entre os filhinhos do papá e os filhos do povo, a prepotência dos governos nas decisões em que estão em causa as pessoas.
Recordo que o movimento punk inglês, tem o seu auge com o governo da senhora Teacher (finais dos anos 70 e grande parte da década de 80). Musicalmente, o punk é assumido por músicos nascidos e criados nos subúrbios das grandes cidades revoltados pela marginalização que sentiram na pele. Podemos dizer sem fugir à verdade que essencialmente os grupos punk advêm do proletariado e das classes marginalizadas.
É o caso dos Sex Pistols, embora estes, cedo tenham enveredado por uma ascenção comercial que quanto a mim - e é uma opinião muito pessoal - os levou a serem mais uma imagem comercial rebelde do que propriamente uma consciência punk.
Mas por exemplo os Clash, assumiram este papel de consciência punk de revolta mas politizada e consciente. Aliás, os Clash foram também uma grande influência para centenas e centenas de bandas punk.
Bem... e ficaria aqui a dissertar durante longas horas sobre o movimento punk. Por isso o melhor será ficar por aqui.

Já agora, convido à leitura do post no blog "vermelho vivo" Os Clash: http://bandeira-vermelha.blogs.sapo.pt/12997.html

Caro José Manuel, peço desculpa por ser tão longo.

Parabéns por trazer até aqui este video!
vermelho vivo a 13 de Janeiro de 2008 às 00:52

A expressão "feios, porcos e maus" eram as características que o sistema os apelidavam ( alusão ao filme com o mesmo nome, 5 estrelas).

No movimento punk havia "consciência social", mas também jovens sem razão aparente.

O melhor album de sempre " triplo Sandinista" dos The Clash.
José Manuel Faria a 13 de Janeiro de 2008 às 11:13

Sim é verdade. No aglomerado, também haviam - e há, provavelmente - muitos punks que o eram porque eram e achavam piada aquilo e outros que o eram porque encaravam o punk como um apelo à violência.
Mas na essência, e muita gente não o sabe, o punk era um movimento social consciente.
Concordo, "Sandinista" do Clash, foi o melhor album editado por uma banda punk. Tal como os Clash foram para mim a melhor banda punk de sempre.
vermelho vivo a 13 de Janeiro de 2008 às 11:37

Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Novidade era se ganhasse, pois continuava tudo com...
Até ao final da campanha vamos ter mais picardias ...
Notícia FALSA e já desmentida. Bastava ter seguido...
Está a dizer que o VHS vai chegar a Presidente, nã...
Até 1 de Outubro há vindimas!!!!!!!!
E VHS, o que fez por Vizela para além de dar que f...
Parece que vai chegar ao fim e o diploma não vai s...
gury diz lhe isso na cara, és um COBARDE.
Parece-me prematuro uma afirmação deste tipo, pois...
Fique tranquilo porque sou uma pessoa com tantos p...
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO