31
Dez 09

 


Estamos no início de um novo ano. 
É tempo de reflexão, de pensarmos no que deixamos para trás, do que queremos fazer no futuro. É tempo de traçarmos novos objectivos, de fazermos novos amigos, de esquecermos o irrisório e de passarmos ao essencial. Por tudo isto, é óptimo chegarmos a um novo ano.

Tenho a certeza que 2010 vai ser mais um ano de luta, mais um ano de muito trabalho. Mas, continuamos sem medo de arregaçar as mangas e projectarmos uma nova Vizela. Sempre com o princípio de “agarrarmos” o passado e o presente para construirmos o futuro. 

É a pensar em todos os vizelenses que centramos o nosso trabalho diário. É com o que começamos a projectar nestes últimos meses que vamos delinear o futuro. Em 2010, vão começar a surgir os primeiros resultados de um projecto que só vai terminar dentro de quatro anos.

Ajudem-nos a projectar Vizela. Ajudem-nos a fazer mais e melhor!
Em nome do Executivo que lidero, desejo-vos um grande 2010! 


DINIS COSTA 

publicado por José Manuel Faria às 17:59

 

publicado por José Manuel Faria às 10:33

  

- Num ano com três Eleições: Europeia, Legislativas e Autárquicas, 2009 foi um ano fantástico para os cidadãos, organizações, comunicação social, analistas, comentadores, sociólogos, politólogos e afins. O Concelho de Vizela não fugiu à regra, mais, foi provavelmente, à sua dimensão, o mais explosivo.

   Momentos Políticos importantes:

   

- A suspensão do mandato do Presidente de Câmara, Francisco Ferreira, depois de anunciada a sua candidatura;

 - A formalização de uma Coligação partidária: PSD/CDS pouco ortodoxa, o nº de Independentes era numeroso e ideologicamente variado;

  - O PS concorre à Câmara Municipal com o seu anterior nº dois, Dinis Costa, substituindo Francisco Ferreira;

 - Uma pré-campanha e Campanha Eleitoral quente: Comunicados e Conferências de Imprensa em número nunca visto, de ataques e contra/ataques entre a Coligação e o PS, incertezas na composição de Listas partidárias até ao dia limite, na candidatura do PS e do Bloco de Esquerda, neste partido em 73 candidatos, 54, no dia 10/08/09 abandonam a candidatura;

 - A Coligação cresce, e aumenta a vereação, de dois para três vereadores, fica a 900 e poucos votos do PS;

 - Dinis Costa assume a vitória eleitoral sozinho;

 - Dezasseis anos depois, em Infias à troca de protagonistas na Junta de Freguesia;

 - Pela primeira vez um comunista assume um cargo executivo: Junta de Freguesia de S.Paio. 

publicado por José Manuel Faria às 10:22

30
Dez 09

\

 

 

 - Há uma tendência quase unânime à volta da separação/autonomia entre sindicatos e partidos políticos. Com estes exemplos prova-se quanto longe está esta realidade, e mais, ninguém a quer alterar: hipocrisia pura. 

 

 - Os dirigentes sindicais deveriam ser militantes de base dos partidos. Não faz sentido acumular altas responsabilidades sindicais e partidárias ao mesmo tempo.

 

publicado por José Manuel Faria às 22:05

publicado por José Manuel Faria às 21:52

 

Órgãos Eleitos no XI Congresso Nacional dos TSD, Lisboa, 10 e 11 Novembro 2007 (download em PDF )

Efectivos: 

1 Eduardo António Brazão de Castro | Madeira 
2 Manuel Ferreira Martins | Porto 
3 Francisco José Fernandes Martins | Lisboa/AML 
4 Maria das Mercês Gomes Borges da Silva Soares | Setúbal 
5 Fernando Dias Santos Simões | Lisboa/AML 
6 Belquisse Clara Pinheiro Nogueira Suzano | Porto 
7 Palmira dos Anjos Castro Magalhães Carvalho | Lisboa/AML 
8 José Joaquim Martins do Rosário | Setúbal 
9 José Joaquim Ferreira Machado | Açores 
10 José Luís Cardoso Pais | Coimbra 
11 Joaquim Pedro Amaral Lourenço | Viseu 
12 Alberto Augusto Rodrigues de Almeida | Faro 
13 Isménia Aurora Salgado dos Anjos Vieira Franco | Aveiro 
14 Luís Filipe Cardoso Barreira | Braga 
15 Alexandre Azevedo Monteiro | Guarda 
16 António Carvalho Carreira | Santarém 
17 António Joaquim Reis dos Lóios | Lisboa/AML 
18 António Luís Silva Martins Coimbra | SBN 
19 António Marques Tavares | SBSI 
20 Arlindo da Silva André Moreira | Porto 
21 Armando Manuel dos Reis Cruz | Lisboa/AML 
22 Carlos Filipe Nobre | Porto 
23 Domingos Francisco Carvalho Silva | Lisboa/AML 
24 Fernando Horácio de Jesus Oliveira | SBSI 
25 Francisco José Parra Curinha | Lisboa/AML 
26 Gabriel Mendes da Costa | SBN 
27 Gilberto Diamantino Abreu Pita | Madeira 
28 Hipólito Manuel Moreira da Costa | Vila Real 
29 Joana Santa Marta de Faria Leal | Lisboa/AML 
30 João Fernando Rodrigues da Cruz | Viana do Castelo 
31 Joaquim António Matias | Castelo Branco 
32 Joaquim Lúcio Trindade Messias | Viseu 
33 Joaquim Telmo da Silva Barbosa | Sindav 
34 José Baptista Fernandes | SBSI 
35 José Manuel Alves Guerra da Fonseca | Porto 
36 José Mendes Cabrito | SBSI 
37 Lina Maria Cardoso Lopes | Sindep 
38 Luís de Carvalho Pereira Carneiro | Porto 
39 Maria Helena Correia da Silva Rodrigues | STE 
40 Nuno Miguel Almeida Silva | SBN 
41 Paulo Manuel Bernardes Moreira | Sitese 
42 Ricardina Brum Condeço Machado Guerreiro | Sinape 
43 Rui Manuel Ribeiro Santos Alves | Lisboa/AML 
44 Sérgio Paulo Ribeiro Jacinto | Lisboa/AO 
45 Tomaz Fernando Silva Braz | Sisep 
46 Vítor Cândido Jesus Pereira | SBSI 
47 Vitor Manuel Lourenço Machado | Lisboa/AML 
48 Henrique Pereira Pinheiro de Castro | Sitesc 
49 José Marques da Silva | Setúbal 
50 Maria Isabel Amaral Monteiro Nobre | Lisboa/AML 

Suplentes 

1 Pedro Miguel Ferreira Martins | Lisboa/AML – JD 
2 César Manuel Oliveira Ferreira | Porto 
3 Vasco Rui Pinheiro Machado Santos | SBSI 
4 Paulo Jorge Medeiros Marques Calheiros | Viseu até 10 
5 António Manuel Teixeira Catela | Coimbra até 10º 
7 Luís Manuel Carvalho Trindade | Faro 
8 Hugo Rafael Dias Camões Soares | Aveiro 
9 João Batista Veloso de Barros | Braga 
10 Augusto Alexandre da Cunha Dias | FNE 
11 António Carlos Videira dos Santos | Sisep 
12 Josué Marques Moreira | Castelo Branco 
13 Alexandre José Figueiredo Martins | Guarda 
14 Marisa Cristina de Castro Araújo | Viana do Castelo 
15 António Manuel Vieira Nunes | Lisboa/AML – AC 
16 José Luís Português Borges da Silva | Lisboa/AML – JD 
17 José Manuel F. Pimentel Dias | Açores 
18 João José Nunes de Castro | Madeira 
19 João Manuel Rios Pereira | Sindep 
20 Aurélio Rodrigues | STE 
21 Virgílio Silva Matos | SBSI 
22 Jorge Manuel Iglésias Vilaça Delgado | SBN 
23 António Gaspar Simões | Lisboa/AML – AC 
24 António Antunes da Cruz | Sitese 
25 Manuel António Fernandes Domingues | Coimbra 
26 José Luís Ferreira dos Santos | Viseu 
27 Teresa de Fátima da Silva Lopes Martinho Lourenço | SBSI 
28 Ricardo Júlio de Carvalho | Santarém 
29 Maria Henriqueta Oliveira Araújo | Porto 
30 Cremilde da Silva Cerqueiro | Lisboa/AML – AC 
31 Acácio Fernando Vieira Garcia Várzea | Lisboa/AO 
32 António Marques Barbacena | Lisboa/AML – JD 
33 Manuel de Barros | Vila Real 
34 Pedro Lourenço Neto | Lisboa/AML – AC 
35 Carla Fátima Jesus Oliveira Gomes Costa | Aveiro 
36 Carlos Manuel Agostinho de Sousa | Sitese 

CONSELHO DE DISCIPLINA E FISCALIZAÇÃO NACIONAL

Presidente - Joaquim Cardoso Martins Lisboa/AML 
Luís Filipe Camoêsas dos Anjos Setúbal 
José Pinto Ferreira Porto 
João Alberto Granja dos Santos Silva Braga 
Sérgio Alves Ferrão Lisboa/AML 

Suplentes 

Pedro Miguel Alves Fidalgo Sérgio Setúbal 
Ricardo Ferreira Santos Santarém 


MESA DO CONGRESSO E DO CONSELHO NACIONAL 

Presidente - Joaquim João Dias da Silva Porto 
Vice-Presidente - Manuel Cardoso Monteiro Porto 
Vice-Presidente - José Alberto Martins Pereira Coelho Coimbra 
Secretário - Lucília Maria Cabral Ferreira Viseu 
Secretário - Ana Maria Pinheiro Ribeiro Porto 
Suplente - Paula Cristina Ruivo Marques Lisboa/AML 
Suplente - Luís Chasqueira Nabais Guarda


SECRETARIADO EXECUTIVO 

Secretário-Geral - Arménio Santos 
Vice-Secretário Geral - Jacinto Faias dos Reis Pereira 
Vice-Secretário Geral - Alfredo Manuel Vieira Correia 
Vice-Secretário Geral - Leodolfo Bettencourt Picanço 
Vice-Secretário Geral - Viriato Augusto Baptista 
Secretário Executivo - António Pedro Roque da Visitação Oliveira 
Secretário Executivo - António Luís Ferreira Correia 
Secretário Executivo - Carlos Alberto Alvarez Faria Chagas 
Secretário Executivo - João de Deus Gomes Pires 
Secretário Executivo - Joaquim João Dias da Silva (Coordenador UGT) 
Secretário Executivo - Ana Isabel Pais Pacheco Valente (Coordenador Independentes) 
Secretário Executivo - José António Pinto F Oliveira Vinagre (Coordenador CT’s) 


SECRETARIADO NACIONAL 

Secretário-Geral - Arménio Santos 
Secretário Nacional - Alfredo Manuel Vieira Correia 
Secretário Nacional - Álvaro da Silva Amorim de Sousa Carneiro 
Secretário Nacional - Amadeu Jesus Pinto 
Secretário Nacional - Antonino Manuel Henriques Simões 
Secretário Nacional - António José de Matos Cristóvão 
Secretário Nacional - António Pedro Roque da Visitação Oliveira 
Secretário Nacional - Carlos Alberto Alvarez Faria Chagas 
Secretário Nacional - Carlos Manuel de Almeida Luís 
Secretário Nacional - Filipa Rei Barata de Oliveira Guimarães 
Secretário Nacional - Cristina Maria Damião de Jesus 
Secretário Nacional - Jacinto Faias dos Reis Pereira 
Secretário Nacional - João de Deus Gomes Pires 
Secretário Nacional - José Correia Azevedo 
Secretário Nacional - Leodolfo Bettencourt Picanço 
Secretário Nacional - Lucinda Manuela de Freitas Dâmaso 
Secretário Nacional - Manuel Pereira Gomes 
Secretário Nacional - Maria do Egito Vieira Franco Simões 
Secretário Nacional - Maria Emília Apolinário Sota Felicíssimo 
Secretário Nacional - Serafim Figueral Rebelo 
Secretário Nacional - Viriato Augusto Baptista 

Suplentes 

Secretário Nacional - Ilídio da Encarnação Jesus Neto Mestre 
Secretário Nacional - Manuel Teodósio Martins Henriques 
Secretário Nacional - António Manuel Mendes Marques 
Secretário Nacional - Carlos Miguel Viegas Vitorino 
Secretário Nacional - Domingos Ferreira Teixeira Guimarães 
Secretário Nacional - Joaquim José Mendes Dias 
Secretário Nacional - João de Deus Relvas Daniel Lopes 
Secretário Nacional - José João Correia Nóbrega Ascenso 
Secretário Nacional - Sérgio Paulo Ribeiro Jacinto 
Secretário Nacional - Victor Manuel Martins 
Secretário Nacional - José António Pinto F Oliveira Vinagre

SECRETARIADO EXECUTIVO 

Secretário-Geral - Arménio Santos 
Vice-Secretário Geral - Jacinto Faias Reis Pereira 
Vice-Secretário Geral - Alfredo Manuel Vieira Correia 
Vice-Secretário Geral - Leodolfo Bettencourt Picanço 
Vice-Secretário Geral - Viriato Augusto Baptista 
Secretário Executivo - António Pedro Roque da Visitação Oliveira 
Secretário Executivo - Carlos Alberto Alvarez Faria e Chagas 
Secretário Executivo - João de Deus Gomes Pires 
Secretário Executivo - Ana Isabel Pais Valente 
Secretário Executivo - Joaquim João Dias da Silva 
Secretário Executivo - José António Pinto Ferreira de Oliveira Vinagre 
Secretário Executivo - António Luís Ferreira Correia

 

 - Impressionante o nº de dirigentes sindicalistas do PSD. 

http://www.tsdnacional.org/index.php?option=com_content&task=view&id=14&Itemid=32


E depois o governo e o patronato insistem que há sindicalistas a mais! Só se forem dos TSDs!

 

Os Dirigentes nacionais de sindicalistas do CDS são muito menos:

http://www.ftdc.pt/

publicado por José Manuel Faria às 19:07

publicado por José Manuel Faria às 11:11

Se somos fiéis à consciência, crescem as virtudes que, por sua vez, vão dominando as nossas fraquezas e dilata-se a capacidade de actuação da nossa consciência. Por sua vez, esse crescimento das virtudes, ajuda o bom funcionamento da consciência, aumentando a nossa liberdade interior.

(Juan Luis Lorda) 

publicado por José Manuel Faria às 10:18

 

 

“Pretendem demolir os edifícios velhos que se encontram entre a Ponte Romana e a “Clínica da Ponte”, com forte impacto visual, mas querem voltar a construir. Não concordamos com isso, de maneira nenhuma”, salientou o vereador. E acrescentou: “Falamos de uma barreira arquitectónica com, sensivelmente, quatro metros e meio de altura e uma extensão considerável. Não haverá uma janela para o rio, a sua [contemplação] ficará impedida por duas torres”.

 

 "-PLANO PLANO DE PORMENOR DO POÇO QUENTE

RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DOS RESULTADOS DA DISCUSSÃO PÚBLICA

Ao abrigo do artigo 77.º do Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial

(Decreto Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, na sua actual redacção), a Câmara Municipal

de Vizela procedeu à abertura de um período de discussão pública do Plano de Pormenor

do Poço Quente, que decorreu de 13-10-2009 a 13-11-2009

Durante o período de discussão pública não deu entrada na Câmara Municipal de Vizela

qualquer reclamação.

 

PLANO DE PORMENOR DA ZONA ENVOLVENTE À FÁBRICA DAS

SEDAS

RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DOS RESULTADOS DA DISCUSSÃO PÚBLICA

Ao abrigo do artigo 77.º do Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial

(Decreto Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, na sua actual redacção), a Câmara Municipal

de Vizela procedeu à abertura de um período de discussão pública do Plano de Pormenor

da Zona Envolvente à Fábrica das Sedas, que decorreu de 13-10-2009 a 13-11-2009

Durante o período de discussão pública deu entrada na Câmara Municipal de Vizela uma

reclamação, em nome de António Alfredo Martins Teixeira, na qualidade de representante

de Invizela, Lda., proprietária dos prédios identificados com os números 5 e 10 na Planta

do Cadastro Original integrante do Plano, cuja cópia se anexa ao presente Relatório.

Ao abrigo do ofício n.º OBR/2942 de 23-11-2009 e após ponderação, a CM de Vizela

respondeu ao reclamante dando conta da não aceitação do requerido.

A fundamentação da posição da C. M. consta do ofício enviado ao reclamante e que se

anexa ao presente Relatório assenta no facto de a pretensão proposta, a ser aceite, colocar

em causa os princípios que presidiram à elaboração do Plano e que são: contribuir para a

recuperação das margens do rio, permitindo a sua utilização pública, mantendo uma

uniformidade volumétrica global, articulando as ampliações dos edifícios existentes com

os edifícios existentes na envolvência."


 - Só  a oposição  Coligação PSD/CDS faz critica política ao PP das "Sedas", as outras, não! Houve uma reclamação a um,  dos  dois Planos de Pormenor. E agora?

publicado por José Manuel Faria às 09:58

29
Dez 09

   

 

 

- Um Gestor ou Director do Conselho de Administração de uma Multinacional por exemplo: IBM, Volkswagen, Fiat, General Motors, Sony ou Siemens  pode ser um anti/capitalista radical, comunista ou anarquista? Há quem diga que sim, eu digo que não. Esse indivíduo é um colaboracionista puro do sistema que pretende derrubar, e sua empresa uma peça fundamental na engrenagem do regime burguês a combater. Não confundir com um médio ou pequeno empresário, assim como um funcionário intermédio de uma grande empresa.

 

A propósito de debates profundos anti/capitalistas a decorrer na blogosfera.

publicado por José Manuel Faria às 22:06

publicado por José Manuel Faria às 17:51

 "Se tenho à minha frente um homossexual exclusivo que não aceita esse facto e me pede para ser heterossexual digo que não há tratamento", defende Júlio Machado Vaz. Também o presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria, António Palha, não têm dúvidas que "a homossexualidade não se trata". Uma opinião reforçada por Caldas de Almeida, coordenador nacional para a Saúde Mental: "As pessoas homossexuais não deixam de o ser por causa de um tratamento com o psiquiatra".

publicado por José Manuel Faria às 10:45

publicado por José Manuel Faria às 10:18

  - As Termas de Vizela têm o fim anunciado há muito por vontade da direcção da Companhia, esta descapitaliza e encerra departamentos propositadamente com o objectivo de fazer baixar o valor das acções na esperança dos oposicionistas as venderem, para em seguida, o grupo do Eng. Coutinho, livre dos fracturantes, enveredar por um projecto aliciante e altamente rentável, colocando Vizela no mapa turístico termal de uma região em crescimento/desenvolvimento económico: uma tese com contornos estranhos, mas segundo a vox populi, verdadeira. A ser assim, a procura de investidores casuísticos, a interferência directa da Câmara ou de organismos governativos não tem interesse algum, pois o plano, pelo menos o A, não passa por aí.

 

Carlos  Coutinho fala na reabertura da piscina das Termas em Janeiro

 

Temos Investidor? Tretas!

publicado por José Manuel Faria às 10:07

28
Dez 09

 

brooke shields

Brooke Shields, a flowered prison in New Orleans

4. E porque são os rostos dúbios da inocência enquadrados por grandes chapéus de palha, tão doces e tão adultos, como se a maioridade fosse dissimulada pela coroa que se transporta? Serão os homens mortalmente inseguros, os que transportam Lolitas nos seus caminhos secretos, tão inseguros assim?

http://www.etudogentemorta.com/2009/12/cinco-perguntas-para-damas-reclinadas/

publicado por José Manuel Faria às 23:06

 

CASO BPN: ESCÂNDALO E IMPUNIDADE

 

A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal !!!

 

O montante do desvio atribuído a Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas é algo de tão elevado, que só a sua comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza.

 

Com 9.710.539.940,09 € (NOVE MIL SETE CENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS.....) poderíamos:

Comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo).

Comprar 16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid.

Construir TGV de Lisboa a Gaia.

Construir pontes para travessia do Tejo.

Construir 3 aeroportos como o de Alcochete.

 

Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias 4850 carrinhas de transporte de valores!

 

Assim, talvez já se perceba melhor o que está em causa.

 

Distribuído pelos 10 milhões de portugueses,

caberia a cada um cerca de 971 €  !!!

 

E que tamanho deveria ter a prisão para albergar esta gen te?

( via e-mail)

 

 

publicado por José Manuel Faria às 18:40

publicado por José Manuel Faria às 09:57

 


Confessar um erro é demonstrar, com modéstia, que se fez progresso na arte de raciocinar.
(Jonathan Swift)

publicado por José Manuel Faria às 09:46

27
Dez 09

  

 

 

 - Observar e Reflectir 

publicado por José Manuel Faria às 12:58

"A violência é uma epidemia. E só conheço uma forma de nos protegermos dela: nunca a aceitar como arma política legítima em democracia. Se olharmos para a vitória de Aminatu Haidar frente à ditadura marroquina percebemos melhor a diferença: a recusa da violência é a arma mais poderosa para exibir a brutalidade de quem nos oprime sem nos confundirmos com ele. [Daniel Oliveira, "Expresso", 24/12/09]" 


 O texto da polémica no:http://5dias.net/2009/12/26/que-merda-adormeceram-quem-e-que-isto-representa-e-isto-o-be/

 

 

 Assino o artigo de Daniel Oliveira. Em democracia a acção violenta como meio ou fim político não é admissível. O combate ao capitalismo terá de ser sempre pela via eleitoral, à procura da maioria popular que o apoie e sustente. O partido vanguardista, com seus dirigentes iluminados e operários amestrados armados de bíblia/tese na mão terminou há muito. O explorado escolhe o que quer, e este tem de ser respeitado, sempre. Ninguém tem autoridade para se armar em defensor único dos trabalhadores. O paternalismo e a estupidificação das “massas” foi “chão que deu uvas”, pois, o líder/partido incontestado, hoje, não existe, felizmente.

publicado por José Manuel Faria às 10:47

Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
O mesmo que as garantias do partido me dão.
Acredito no desperdicio e na desarrumaçao, mas n]a...
Compreendo, mas o sr. assim nao da garantias a nen...
Fica bem ser agradecida pelas portas abertas e pel...
Verdade Professor.... ou seja.. todo o Grupo envol...
Uma Coisa lhe respondo... o Sr. pelo que fala ate ...
Ohhhhh..... Professor.... Vossa Excelência é o quê...
A Aximage numa sondagem publicada há uma semana, d...
Sou socialista marxista libertário, o que faz com ...
Estará para breve.. uma Proposta á Camara Municipa...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

12 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO