04
Mai 08

Dias contados: Crónica do inenarrável Alberto Gonçales

"Num mundo ideal, leia-se um mundo em que a igreja de D. Januário, o Bloco ou o PCP mandassem, as "grandes superfícies" não existiriam e ponto final. O consumo seria realizado em encantadoras lojinhas de bairro, abertas duas horas às terças e quintas e repletas de produtos de quermesses e do "comércio justo", a preços tabelados pelo Estado ou pela Santa Casa."

O Alberto o cronista da moda e direitista sem pingo de ridículo, escreve pérolas deste calibre. A propósito de um tema sério e que joga no campo da  economia de todos nós.

Não pode valer tudo no mundo dos Hipers versus comércio tradicional. Para o Alberto tudo se resume à Sovietização da economia. Enfim.

 

 

publicado por José Manuel Faria às 11:55

2 comentários:
Alguém comentou na net que não se importava que os hipermercados estivessem abertos, com a máxima de que os portugueses durente a semana estão a trabalhar e não tem tempo para lá ir durante o dia, desde que os serviços públicos também estivessem!

Bem pensado.
1/2Kg de Broa a 4 de Maio de 2008 às 14:07

Belíssima ideia. Serviços públicos 24 hors por dia.
jmvfaria1@sapo.pt a 4 de Maio de 2008 às 16:23

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Coitados....as Cristas e os Passos de Vizela já e...
Uma vergonha. O Sr.e uma vergonha.
Estás com azia?.Os terrenos de Francisco Ferreira ...
Esses óculos não serão uns que têm umas palas?????
Oh Dinis Costa:És um básico. Já explicaste porque ...
E Armindo faria o que fez?...
Se quiserem saber o quanto o povo de Vizela gosta ...
Anónimo a 23 de Setembro de 2017 às 16:44Por favor...
Realmente JIC tem dado um pouco mais a conhecer se...
Realmente o Francisco Ferreira é mesmo importante,...
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO