04
Mai 08

Dias contados: Crónica do inenarrável Alberto Gonçales

"Num mundo ideal, leia-se um mundo em que a igreja de D. Januário, o Bloco ou o PCP mandassem, as "grandes superfícies" não existiriam e ponto final. O consumo seria realizado em encantadoras lojinhas de bairro, abertas duas horas às terças e quintas e repletas de produtos de quermesses e do "comércio justo", a preços tabelados pelo Estado ou pela Santa Casa."

O Alberto o cronista da moda e direitista sem pingo de ridículo, escreve pérolas deste calibre. A propósito de um tema sério e que joga no campo da  economia de todos nós.

Não pode valer tudo no mundo dos Hipers versus comércio tradicional. Para o Alberto tudo se resume à Sovietização da economia. Enfim.

 

 

publicado por José Manuel Faria às 11:55

2 comentários:
Alguém comentou na net que não se importava que os hipermercados estivessem abertos, com a máxima de que os portugueses durente a semana estão a trabalhar e não tem tempo para lá ir durante o dia, desde que os serviços públicos também estivessem!

Bem pensado.
1/2Kg de Broa a 4 de Maio de 2008 às 14:07

Belíssima ideia. Serviços públicos 24 hors por dia.
jmvfaria1@sapo.pt a 4 de Maio de 2008 às 16:23

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Se estiver com o pé quieto, eu acerto-lhe sempre n...
Balelas, balelas e mais balelas.
É verdade. O JIC, o J.P. e a Dora sempre trabalhar...
Para padre andou ele a estudar mas só lá esteve 6 ...
Ao anónimo das 22,34Ninguém vos entende!É uma no c...
Ao comentário das 19,41Cllaro que este comentário ...
Oh mirone, o seu pseudónimo deveria ser Mirolho ou...
""Ah, já agora; comi-lhe o cavalo – Xeque Mate!"En...
""Mestre de Avis a 19 de Julho de 2017 às 23:58""A...
Não. Não dá para acreditar. Vamos rezar para que o...
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO