09
Jul 08

O PSD perdeu uma oportunidade de ouro de poder ter um candidato a primeiro - ministro de uma área ideológica de centro - direita liberal alternativa clara a José Sócrates, Pedro
Passos Coelho. O PSD enveredou pelo cinzentismo dejá vú das finanças à educação. PPC é jovem, liberal assumido, pouco estatista e voluntarioso. MFL insiste numa postura rígida,
carrancuda, assustadora para lhe dar um ar de que com ela acaba a brincadeira. Pelo contrário a entrevista na TVI mostrou MFL, nervosa e com uma certeza, o País está sem
dinheiro, não pode investir, pressionada nunca afirmou onde cortava no investimento público - TGV, aeroporto auto-estradas - o governo é que deve esclarecer. E nós ficamos
na mesma, a sra. explica no máximo na campanha eleitoral ( nesta altura Sócrates sorria em casa).
A "bomba" política estava reservada para o fim, Constança Cunha e Sá directa entra na moral fracturante, aí, MFL estampa-se, rouba algumas centenas de votos ao CDS e perde
milhares para o PS. O casamento entre homossexuais é outra coisa que não casamento, chamem-lhe retrógrada, mas ela é assim. O casamento tem como objectivo primeiro a
procriação, foi o fim da presidente social-democrata dos tempos de hoje, uma afirmação que contenta os salazaristas do tempo de Salazar. MFL depois do seu divórcio, não casará
( tem 67 anos), os solteiros, divorciados, inférteis ou lésbicas nunca serão bons pais ou famílias a sério. O casamento mais que um contrato de amor ou de propriedade, é um meio
para fazer filhos.

A entrevista no Canal pago por todos nós foi o lançamento de uma passadeira vermelha ao primeiro-ministro, José Sócrates. A leveza de Judite de Sousa, o receio de não incomodar
de José alberto Carvalho, levou o PM a discorrer sobre os assuntos como bem queria ao ritmo que lhe interessava. A culpa da crise é internacional, os camionistas ficaram
satisfeitos, foram só 3 dias de pânico. O Alegre é porreiraço, as suas criticas são bem vindas, as manifestações normais, o PCP quer o céu na terra ( irresponsável), piores dias
virão, temos é de ser positivos como diria o outro.

Duas entrevistas esclarecedoras, uma do pensamento económico sem rasgos e ou criatividade e do apertar o cinto com uma moral ultra-conservadora. Outra que não foi bem uma
entrevista, mas um momento Chavéz de propaganda ilusória sem contraditório à altura, só sorrisos muitos sorrisos de Judite, lembrou os encontros à segunda-feira com Vitorino.

Espera-se um duelo à sombra entre os dois num canal privado.

Conclusão, o Bloco de Esquerda tem de crescer o mais possível para retirar a maioria absoluta ao PS "roubando" os seus eleitores de quase sempre.

publicado por José Manuel Faria às 11:32

comentário:
há alternativa.
pois a 9 de Julho de 2008 às 21:22

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Muito menos, digo eu, para estes comentários imbec...
Festejar o aniversário de quem manda no puto???Ten...
O referendo é uma boa proposta e, Janeiro o mês pa...
Não vamos criar precedentes. O Povo não sabe o que...
Anónimo a 20 de Novembro de 2017 às 19:28"Onde est...
Ora por aqui se pode ver em que é que é (mal) gast...
Sim, a menina deve tornar público o que acontece, ...
O que é o "comércio local"? Os comércios locais do...
Conseguiram uma mão cheia de quase nada, outra de ...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

12 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO