02
Out 08

http://cabaretdacoxa.blogs.sapo.pt/arquivo/maya.jpg

Nos saudosos anos 80, 90 e talvez até 2000, o mundo da noite movia-se à volta de si mesmo. Os bares e as dicotecas apinhadas de malta jovem , até aos 35 ( os "idosos" rodavam nas boites, casas caras de rotatividade de profissionais do champanhe).A alegria da malta era escutar as músicas da moda nacional , britanica ou norte-americana dos tops da rádio  com Filipe Barros , António Sérgio e vejam lá, Ana Bola, sim a "actriz" da sic e afins teve um excelente programa que nos dava novidades músicais, dançava-se por vezes de modo "rude", as músicas   "pesadas" com Chiclete, Rosette e Chico Fininho, e outra que tais "mete e tira, tira e mete, eu fui à Rosette" pelo meio. Um conselho, descobri à pouco uma rádio do melhorio a M80 de Matosinhos ( 70, 80 e 90 ). As moças vestida a Modonna ou " negras" do punk davam  um colorido folclórico de fauna urbana e rural ( esta não tão apurada), o engate no Slow era o extase. Agarrar a moça  com força colocar os lábios perto do pescoço e roçar, roçar o mais possível, as luzes escureciam. Entrar nas discos da moda não era simples, convinha levar sempre raparigas ou então o nariz esbarrava-se na porta, contudo uma conversa mais inteligente com o porteiro e as barragens abriam-se.

 

Hoje a captação de clientes é noutra base. A música house ou derivados toda igual, pum, pum, pum e mais pum durante horas não interessa aos utentes. O que conta é ver a socialite das revistas, do 24 horas e do Correio da Manhã. Gastos enormes na conquista da Maya, Claudio Ramos, isabel Figueira e mais uns 20, pedir autografos, olhar os deuses da fofoca estar pertinho se possivel, tocar e perguntar-lhes como estão, bem muito bem, respondem. Estes seres rodam no Portugal profundo e à superfície ganham milhares sem produzirem nada tal e qual os investidores bolsitas e seus corretores. As casas enchem para observar parasitas de língua comprida. São modas senhores. Isto vai passar. E a moda retro correrá com esta gente de cera e sem alma.

publicado por José Manuel Faria às 10:51

7 comentários:
Não me acredito que seja assim tão linear... só se tivermos a falar de dezenas de anos, senão não.
Isto apenas por uma razão: se a beleza (exterior) é cada vez mais importante, na sociedade, a noite de hoje está de tal forma ligada à mesma que muito dificilmente se mudará.
Não me acredito na mudança, não me acredito que a noite voltará a ser um lugar para dançar e conviver e não – como é agora – apenas para abanar a cabeça – de cima para baixo – e beber um (dois, três, quatro, caiu, parou) copo.
Márcio a 2 de Outubro de 2008 às 14:00

e enquanto "o tempo não volta pra trás"... uma sugestão poética:
http://acaixadospoetas.wordpress.com/
silviaefe a 2 de Outubro de 2008 às 14:02

Dou-lhe razão quando diz que a atracção está, estupidamente, na presença de figuras públicas que nada de novo trazem.
Quanto à música, não concordo mas também depende dos Dj's e da hora. A partir das 5h30 ou 6 acredito que a música já seja toda a mesma. Antes disso, um Dj de qualidade "normal" tem muita e boa música por onde escolher
1/2Kg de Broa a 2 de Outubro de 2008 às 14:54

Alguém te ouça caro JMF.

Partilho da ideia, como quase tudo a moda (sentido lato) seja cíclica e que a actual volte "atrás no tempo".

P.S. declaração de interesse: também não gosto do "mainstream " musical que actualmente singra nas discotecas. Sou daqueles que só se digna a ir para a pista no final da noite (quando passa aquelas músicas para 'expulsar' o pessoal)
Marco Gomes a 2 de Outubro de 2008 às 16:45

-A Ana Bola lembro-me de ser RP da Valentim ou Polygram , não tenho a certeza, era eu um adolescente que ia com regularidade à Febre de Sábado de Manhã do Júlio Isidro, onde ela ia com regularidade levar discos novos.
-A noite de hoje é uma porcaria, quando chega essa trupe da brigada do rissol e do croquete é hora de me por a andar, que não gosto de locais mal frequentados. É que já frequentei praticamente todas as discotecas de Lx em meados da década de 90, depois reformei-me, quando saio é para rever amigos, mas separo sempre o trigo do joio.
António de Almeida a 2 de Outubro de 2008 às 17:03

António;

O programa foi no início da comercial (79 ou 80) sábados à tarde ( penso eu de que). Passava boa música e tinha uma excelente voz.

José Manuel Faria a 2 de Outubro de 2008 às 18:40

-Sábados de manhã (10-13), sediado no Cinema Nimas . Também saiu á FIL , pav Carlos Lopes (então pav dos Desportos de Lisboa), Estádio José de Alvalade (manhã célebre com os Fisher Z), entre outros locais. Eu era presença regular na assistência, todos os sábados, durante a semana era a Grafonola Ideal, (Júlio Isidro, Margarida Andrade, hoje Mercês de Melo, Carlos Ribeiro, António Barra eram a equipa). Andava eu no 9º ano, 1979 (só se tem uma vez 14 anos).
António de Almeida a 3 de Outubro de 2008 às 16:49

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Drª Dora os Vizelenses (militantes do partido PS) ...
Ó sr. D......outurado!E porque é que você tem que ...
“Mas os vizelenses também não disseram que queriam...
"E, finalmente, a Ministra foi demitida."Assunto r...
ZMF o Srº a dizer mal e a criticar sentadinho num...
Anónimo a 20 de Outubro de 2017 às 18:54 Jorge É J...
Ó seu palerma, este JP é Jorge Pedrosa. Burrice te...
Coitados, a outra/o quando estava na CMV a mandar ...
Cuidado que este JP pode ser João Polery e não é p...
Ahahhahahaah grande lata esta Dora, exigir!!!!!!!!...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

10 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO