09
Jan 07

Os cidadãos portugueses recenseados e a residir no estrangeiro não poderão votar no referendo sobre a interrupção voluntária da gravidez até às dez semanas. Segundo a lei do referendo de 1998 e o projecto de resolução que deu origem a esta consulta - marcada para o dia 11 de Fevereiro -, só quem resida em território nacional poderá votar.
O constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia discorda da restrição: "Não faz sentido, os emigrantes deviam poder votar. Esta é uma questão de fé, de consciência, e vai afectar muita gente". Segundo Bacelar Gouveia, "era preciso que os deputados quisessem mesmo alargar o voto aos emigrantes nestas matérias, o que ainda não quiseram fazer".

A Assembleia da República deveria legislar nesse sentido.

publicado por José Manuel Faria às 18:00

5 comentários:
Realmente, hoje em dia, já não faz sentido este tipo de restrição! Mas, como já estamos habituados, as leis em Portugal é uma anedota atrás da outra…
No entanto, por outro lado, (e como diz uma pessoa minha conhecida) tudo o que acontece (seja bom ou mau) tem o seu lado positivo… preciso é reflectir sobre o assunto ou acontecimento. E neste caso, não foge à regra! Tal como já disse anteriormente («Os defensores do sim “andam” a dormir»), esta regra serve para que a abstenção seja menor. E aí pode ser que o referendo seja válido.
.:mÁrCiO:. a 9 de Janeiro de 2007 às 19:10

Viva
Aqui fica o meu primeiro comentário no rupturavizela . Apesar de ser o meu primeiro comentário não é a primeira visita e aproveita para dizer que gosto muito da forma como os temas são abordados e comentados e com os quais tenho invariavelmente concordado. É claro que os emigrantes recenseados deveriam votar. Aliás o problema do aborto é universal. Também me agradou ler no Público de hoje que João Bacelar Gouveia e Gomes Canotilho, tal como eu tenho vindo a defender no meu blogue, um pouco contra a corrente, e particularmente contra os adeptos do voto Não no referendo ao aborto ( e já agora também contra a opinião de outro constitucionalista, Jorge Miranda) que quer ganhe o sim ou ou não no referendo, se este não for vinculativo, isto é, se não tiver uma maioria de eleitores superior a 50%, a lei pode, se os poderes políticos e legislativos quiserem, ser na mesma alterada. Se repararem o que estão a querer é que o Não possa ganhar de três formas: se não houver uma participação superior a 50%; se o SIM ganhar com menos de 50% de eleitores; o Não ter mais votos que o Sim, mesmo que tenha menos de 50% de participação eleitoral. Já o SIM para ganhar precisa SEMPRE de uma maioria de participação (50%+1) e de ter mais votos que o Não. Esta situação injusta, justifica que se faça uma interpretação POLÍTICA no caso de não haver uma maioria vinculativa e essa interpretação, na minha opinião, é a de que a maioria dos eleitores, está a remeter para os responsáveis políticos a decisão, depois de dois referendos não vinculativos.
Fernando a 9 de Janeiro de 2007 às 20:02

Seja bem-vindo, eu também visito e comento no teu blog. Obrigado pelo comentário.
José Manuel Faria a 9 de Janeiro de 2007 às 22:32

Sou da opinião de que todos os cidadãos portugueses recenseados deveriam votar.
Guinha a 10 de Janeiro de 2007 às 11:16

Olá JmvFaria.
A Trilby desafiou-me eu tive de aceitar e agora tenho de entregar a outros três. És um dos três. Não se aceitam recusas. Tens de ir ao meu blogue ver o assunto.
Fernando a 10 de Janeiro de 2007 às 16:52

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
Lista única.Vai ter muitas dificuldades em ganhar:...
Ó Gury pensei que tinhas emigrado.........Ó Gury t...
Por acaso, eu acho que se trata de uma excelente a...
Ainda bem que saltei fora do barco enquanto uns se...
Coitado do PS Vizela, a Dora a Presidente !!!!!!!!...
Então não são 800 mil euros, não é verdade, eminên...
Anónimo a 12 de Janeiro de 2018 às 11:11Se fosse a...
Um orçamento com mais de 3 milhões de lucro e não ...
Recorde prof. que a redução do IMI a pagar 2018 f...
O resto do entulho, sim, porque o entulho já foi a...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

12 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO