09
Dez 17

 

publicado por José Manuel Faria às 11:26

08
Dez 17

 DDV

publicado por José Manuel Faria às 20:17

 

publicado por José Manuel Faria às 12:38

07
Dez 17

 

publicado por José Manuel Faria às 20:55

 

publicado por José Manuel Faria às 12:26

 

publicado por José Manuel Faria às 11:58

06
Dez 17

Dora Gaspar e João Ilídio Costa, vereadores do PS, emitiram, esta quarta-feira, um comunicado que aborda a posição socialista quanto aos temas debatidos na última reunião do Executivo. Entende o PS que o dossier das Termas “tem de ser concluído” e que “o presidente da Câmara tem de assumir claramente a sua posição sobre este dossier, que conhece muito bem”. Pedem esclarecimentos sobre o resultado da reunião que manteve na Secretaria de Estado do Turismo com “uma técnica da área do termalismo, e sobre o alcance das suas declarações com o facto de que a “TESAL vai liquidar o mais breve possível os pagamentos em atraso””.

Taxa do lixo pode baixar mais

Os vereadores socialistas referem-se também à descida dos 5% na tarifa do lixo, sendo da opinião que, “após a recuperação financeira executada pelo PS Vizela (…) a taxa pode recuar para os valores de 2015, acabando os vizelenses por poupar o dobro do proposto”. Por outro lado, dizem que “é possível ir mais longe no abaixamento do tarifário se a Câmara passar a cobrar aos munícipes que nada pagam”, lê-se.

Desaterro em Tagilde

Depois, escrevem sobre o caso do desaterro em Tagilde. Dizem que se impõe “o licenciamento da empreitada e o cumprimento da contraordenação enviada pela Câmara em maio de 2017”. Entendem os vereadores

socialistas que “a explicação dada ao RVJornal pelo sr. José Borges, dono do desaterro, contraria no todo as suas explicações quando admite implicitamente a real possibilidade de derrocada da habitação de Irene de Freitas”. “Após participação da ocorrência por parte dos proprietários da casa, a Câmara avançou com uma fiscalização e impôs, imediatamente, um pedido de reposição da segurança ao Sr. José Borges; este sabia que “existia um desnível antes de qualquer intervenção” e reconhecia que poderia incorrer numa ilegalidade e criar uma situação de elevado risco”, esclarece o PS.

O comunicado prossegue com o PS a pedir explicações ao Executivo sobre “as intervenções públicas realizadas em terreno privado do Sr. Ovídio Cunha, em Sta. Eulália, por parte da Junta, à época presidida por Sr. Joaquim Meireles”. A nota refere que a condição de terreno privado “consta claramente da deliberação do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga” e dizem ter “existido má-fé por parte do Executivo da Junta, tentando assim incluir como domínio pública o que era e é propriedade de domínio privado”, lê-se ainda.

Mas o PS Vizela não fica por aqui: “Afinal nunca foi pedida uma auditoria à dívida de 2009 a 2012”. “O documento de quatro páginas, em momento nenhum fala em auditoria ou em dívida, muito menos em “aumento da dívida a fornecedores de 10 milhões de euros de 2009 para 2012”.

Paralela à EN 106

Os socialistas referem-se ainda à obra da Paralela à EN 106. “Esta foi objeto de Concurso Público e posterior procedimento por ajuste direto com consulta a três empresas, ambos aprovados por unanimidade (…) em 2015”. “A este processo quiseram ardilosamente juntar a obra de abril de 2017 de requalificação “Rua Joaquim da Costa Chicória, Rua Nova do Fórum e Braúlio Caldas”, cuja adjudicação resultou de procedimento por ajuste direto com consulta a três empresas”. O PS garante que o muro, a vedação e a entrada da Filarmónica, estavam previstos nesta obra”

rádio vizela

publicado por José Manuel Faria às 17:52

 

publicado por José Manuel Faria às 12:13

 

publicado por José Manuel Faria às 12:04

05
Dez 17

"Thérèse Dreaming". Quadro de Balthus

JN

publicado por José Manuel Faria às 18:54

Devido a uma ação de penhora que arrestou os bens de José Flávio, proprietário da empresa, incluindo os cerca de cinco mil animais ali criados.

publicado por José Manuel Faria às 12:56

04
Dez 17

 

publicado por José Manuel Faria às 18:22

 

publicado por José Manuel Faria às 12:49

 

publicado por José Manuel Faria às 12:22

03
Dez 17

 

publicado por José Manuel Faria às 12:38

 

publicado por José Manuel Faria às 11:44

No programa de ontem "Informação Especial" da Rv, 97.2 com a presença de militantes do BE (Vila Real); Movimento VS (Jorge Oliveira); Coligação PSD/CDS (José Abreu) e PS, assistiu-se a um debate morno e de pouca substância à excepção da intervenção de Dora Gaspar do PS que esteve convicta, combatente e corrosiva, principalmente em relação a José Abreu do CDS - sobre taxas, obras, ajustes directos e decisões registadas em acta.

publicado por José Manuel Faria às 10:32

 

publicado por José Manuel Faria às 10:23

02
Dez 17

 

publicado por José Manuel Faria às 20:52

A Câmara de Lisboa  vai gastar mais de um milhão de euros por ano em salários para assessores e secretárias da Assembleia Municipal, até 2021. 

De acordo com a proposta de apoio técnico aos grupos políticos  com assento na Assembleia Municipal, aprovada na sexta-feira 23 de novembro, por unanimidade, cada assessor a tempo inteiro tem um salário mensal de 3.752,5 euros brutos, acrescidos da taxa de IVA em vigor (23%). A tempo parcial o valor baixa para 1.876,25 euros (sem IVA). 

Já uma secretária a tempo inteiro tem uma remuneração de 2.802,5 euros mensais, também acrescidos de IVA. Mas se for a regime parcial é de 1.401, 25 euros mensais, a que se soma IVA.   

Desta forma, um assessor ou até mesmo uma secretária da Assembleia Municipal de Lisboa têm uma remuneração mais alta face ao salário médio de um médico, de um professor do básico e  secundário ou universitário, ao de um diplomata ou ao de um enfermeiro.  Um assessor da Assembleia Municipal chega a ter uma remuneração equivalente à do salário base de um deputado do Parlamento e superior à de um chefe de gabinete de um ministro (ver tabelas).

No total, durante este mandato, por mês é pago 66.419,25 euros em salários para assessores dos deputados municipais, a que se somam 14.573 euros com remunerações mensais para secretárias. 

Contas feitas, só em despesas com salários para apoio técnico são gastos todos os meses 80.992,25 euros, acrescidos de IVA. No final do ano, a fatura sobe para 971.907 euros (contabilizando 12 meses) a que soma o IVA. 

Fora destas contas estão todos os salários com secretárias e assessores do Presidente da Assembleia Municipal e dos dois secretários. Com estes são gastos mais  20.615 euros mensais, sem IVA. Estas despesas são suportadas pelo orçamento da autarquia que foi apresentado nesta quarta-feira e que irá ser apreciado em reunião de Câmara no dia 14 de dezembro. Para 2018 a autarquia aponta para uma despesa total de 1.099 milhões de euros.

AML

publicado por José Manuel Faria às 11:32

Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Visitas
Visitor Counter
comentários recentes
O mesmo que as garantias do partido me dão.
Acredito no desperdicio e na desarrumaçao, mas n]a...
Compreendo, mas o sr. assim nao da garantias a nen...
Fica bem ser agradecida pelas portas abertas e pel...
Verdade Professor.... ou seja.. todo o Grupo envol...
Uma Coisa lhe respondo... o Sr. pelo que fala ate ...
Ohhhhh..... Professor.... Vossa Excelência é o quê...
A Aximage numa sondagem publicada há uma semana, d...
Sou socialista marxista libertário, o que faz com ...
Estará para breve.. uma Proposta á Camara Municipa...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

12 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO