30
Jan 11

 

"Como se esperava, Cavaco Silva ganhou. Os candidatos à renovação de mandato têm ganho sempre. Mas esta vitória tem dois pequenos grandes "senões": por um lado, obtém o mais fraco resultado de uma reeleição, o que não lhe retira legitimidade, mas o limita; por outro lado, perdeu a sua imagem de imaculado. A sensação de história mal-contada na compra e venda de acções, bem como na valorização da permuta imobiliária que lhe permitiu zero de sisa, não pesou em votos, mas afectou, e de que maneira, a credibilidade do presidente reeleito. O seu discurso azedo e rezingão da noite da vitória mostra como saiu afectado desta refrega. Acresce que a procissão ainda pode estar no adro. Um país convive melhor ou pior com um PR mais ou menos activo; mas dificilmente tolera o silêncio se estiver em causa uma fraude fiscal. Uma tal conduta não assenta a um presidente, ponto.

Manuel Alegre perdeu. O candidato atribuiu a si próprio a responsabilidade pelo resultado e alguma terá tido. Mas não foi por falta de voz nem por falta de discurso que obteve, em 2011, menos um ponto do que em 2006. A sua dificuldade não foi o texto mas o contexto. Certo, parte do eleitorado à esquerda do PS não quis dar, numa primeira volta, o seu apoio a um candidato apoiado por José Sócrates. Embora o Bloco tenha segurado o grosso da sua base eleitoral (sem prejuízo de votos que foram parar a Fernando Nobre, a JM Coelho e aos brancos e nulos), o discurso de esquerda de Alegre esteve sempre em contraste com a prática governamental que, aliás, não raro, criticou. Mas não foi pela asa esquerda que Alegre fica a 2 pontos da segunda volta. Alegre falha porque o eleitorado PS dispara em todas as direcções – para a abstenção, para Nobre, para Defensor de Moura e até para Cavaco Silva. "Culpa do discurso", como dizem os que nunca quiseram Alegre? Ou desencanto com a política, marcada pela crise e pela abissal diferença entre as palavras e os actos da governação?

Nobre teve muitos votos. Só não tem o que fazer com eles. Se avançar para a forma partido, aliena o eleitorado anti-partidos que cotejou. Se aceitar ser cereja no bolo da direita, facilitará a vida a Passos Coelho, mas hipoteca-se a si próprio; se esperar pelas próximas presidenciais, é o país que pode não esperar por ele. A vitória de Nobre foi tão "tremenda" quanto descartável.

Finalmente, e numa disputa bem mais simples, Francisco Lopes fica aquém de Jerónimo Sousa. Sete pontos não são tragédia nenhuma, mas estão longe de ser brilhantes. Num contexto de elevada abstenção e sem pressão para o voto útil, mostram um partido militante, mas metido na sua concha, incapaz de projectar a voz para lá do próprio círculo.

Quanto ao mais... Alberto João que se cuide, que Coelho não foi apenas empatia madeirense e protesto continental."

 

http://esquerda.net/opiniao/balan%C3%A7o

 

1 - Miguel Portas esperava a vitória de Cavaco;

 

2- O discurso de Alegre: titubeante relativamente ao Orçamento e greve geral não conta, a culpa foi do apoio de Sócrates e do PS!;

 

3- Os eleitores do BE não votaram Francisco Lopes!;

 

4- Nas eleições presidenciais, os candidatos têm que aplicar no futuro o peso dos seus votos. Os 600 000 votos de Nobre foram para o "lixo" porque não se traduziram em mandatos, partido político ou associação cívica: esta é de Mestre.

 

5 - O BE sai imaculado.

publicado por José Manuel Faria às 18:13

4 comentários:
Miguel Portas aplica a técnica que aprendeu na escola do PCP, transformando uma derrota em vitória.
António de Almeida a 31 de Janeiro de 2011 às 11:31

È claro que houve eleitores do Bloco que votaram em Francisco Lopes, como votaram em José Manuel Coelho, como votaram em Nobre.

Mas tambem houve e muitos eleitores do PCP, que votaram em CAVACO SILVA, E ISSO SIM, É MUITO PREOCUPANTE PARA A ESQUERDA.

Aliás o discurso de Sabado em Lisboa e o de Domingo na Baixa da Banheira de Jeronimo de Sousa é disso a prova.

Ataque cerrado ao Bloco de Esquerda, tentativa canhestra de apresentar o resultado mediocre de Francisco Lopes como muito bom, e tentativa de ignorar, que muito do seu eleitorado, foi no canto de sereia de Cavaco , e da sua pseudo estabilidade.

Como disse e bem Louçã , TODA a esquerda sai derrotada, com a vitória de Cavaco.

Veremos é se aprende alguma coisa , para travar os apetites do PSD e do CDS.

Passos Coelho já solta as garras, quer fechar todas as empresas de transportes deficitarias,limitar os passes sociais, etc etc

A esquerda ainda não percebeu o que a direita prepara, ou prefere como Jeronimo de Sousa , virar as baterias para o BE, em vez de unir forças para travar o PSD e o CDS.

a.pacheco a 31 de Janeiro de 2011 às 14:33

E sustenta esta sua opinião nalguma sondagem?! Ou é uma sua suspeita?!
rm a 31 de Janeiro de 2011 às 18:12

"...Mas tambem houve e muitos eleitores do PCP, que votaram em CAVACO SILVA, E ISSO SIM, É MUITO PREOCUPANTE PARA A ESQUERDA..."

"...Ataque cerrado ao Bloco de Esquerda, tentativa canhestra de apresentar o resultado mediocre de Francisco Lopes como muito bom, e tentativa de ignorar, que muito do seu eleitorado, foi no canto de sereia de Cavaco , e da sua pseudo estabilidade..."

Esta alucinante tese ferida de doença de paranoidite aguda, sustenta-se em quê?

Xiça!... o homem nem deve dormir durante a noite a pensar em comunistas!



vermelho vivo a 1 de Fevereiro de 2011 às 23:52

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





comentários recentes
António Costa protagoniza arruada este domingo em ...
e o carvalhinho tambem entra nas contas? Sempre no...
Um livro, critérios diferentes:O livro das bandas ...
Quem é esta Irene Costa?É Socialista? militante? h...
"Não deixei de ser quem fui, não vou alterar em na...
Comissão Administrativa da Concelhia do Partido So...
Os PS (grandes) só se lembram dos militantes para ...
Olha os socialistas interesseiros, quando dava jei...
Um milhão de euros!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...
Convém informar quais os funcionários que passam/r...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO