19
Set 08
http://galizacig.org/imxact/2004/07/emigrantes_nova_york.jpg

O PS não pára com as más novidades, agora é o fim do voto dos emigrantes por correspondência , um disparate.

Os círculos eleitorais da Europa e fora da Europa elegem , dois deputados cada um. Em eleições anteriores estes são divididos entre o PSD e PS, o PSD quase sempre a "vencer", 3 a 1.

Os portuguese no mundo devem ter opinião sobre a composição da Assembleia da República, e futuro governo, do Presidente ( não há voto por correspodência, mas deveria haver)  e do parlamento europeu. São milhões em todos os cantos do planeta  e algumas centenas de milhar ( arredondado para cima) recenceados.

A obrigatoriedade do voto presencial é cara e difícil de concretizar em países sul-americanos, aficanos e em muitos europeus. São emigrantes longe dos consulados ou sem representação oficial de Portugal. Corta-se a oportunidade da participação civíca de alguém que leva o nome de Portugal tão longe,  e as economias para a pátria Lusa.

O PS chama "chapelada" tipo eleições distritais socialistas, hoje. Ontem nunca abordaram o tema. É verdade que o boletim de voto em carta pode ser condicionado pelo amigo(a) ou família, igualmente como o presencial. Estão a fazer dos emigrantes, ignorantes, analfabetos e sem vontade própria.

O PS quer é uma participação reduzida de eleitores, "pensando" que assim o favorece, pode precisamente acontecer o contrário.

O PS, nota-se preocupado com a dificuldade em obter maioria absoluta e todos os expedientes servem. Sócrates não sabe governar com outros (coligação), a todo o custo quer a solidão da sua decisão.

É claro que 4 deputados podem fazer a diferença mas o PM sabe que o PSD sempre foi forte nos círculos do estrangeiro e que não é com esta artimanha que o disco virará.

Aquelas "cabeças" de aprendizes maquiavélicos por vezes transformam-se em  espertos, chicos.

 

 

adenda: A abstenção do BE na proposta do PS é incongruente com as suas eleições internas: Concelhias, distritais e eleição de delegados à Convenção pode ser realizada por correspodência. Os emigrantes são menos confiáveis?

 

adenda (actual):As alterações que o PS fez à lei que põe fim ao voto por correspondência dos emigrantes nas eleições legislativas e europeias (e o torna presencial) continuam a ter a oposição do PSD. Os sociais-democratas consideram «inaceitável» a lei e antevêem novo veto

político por parte do Presidente da República.

 

in sol

publicado por José Manuel Faria às 10:33

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





comentários recentes
"O "governo" de Vizela tem de ser escrutinado 15/1...
Ze manel. Eu não falei consigo. Mas de qualquer ma...
Se é o ministro das finanças que gere TODO o gove...
O "governo" de Vizela tem de ser escrutinado 15/15...
Estava à espera deste post! Sério. Logo que li "is...
Oh Eugénio Silva, não há coiso que te sirva.Parece...
Quem ouve Dora Gaspar falar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Real...
Em suma: em Vizela ninguém é coerente, ninguém é d...
À que tempos, começou a devolver ainda no tempo do...
Não acho que já deveria ter perguntado isto há alg...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

13 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO