02
Jan 11



"A coligação “Por Vizela” apresentou ainda nesta sessão um voto de protesto, “a exemplo do que tem acontecido nas diferentes Assembleias Municipais do Vale do Ave e ao nível da Assembleia Inter Municipal CIM do Ave”, sobre a entrada na Europa a custo zero dos Têxteis do Paquistão. “A coligação, atenta à intervenção que tem vindo a ser efectuada pelo eurodeputado Nuno Melo, entendeu apresentar aqui um voto de protesto”, referiu a deputada Cidália Cunha. “Na CIM do Ave foi criada uma Comissão para analisar um impacto nefasto que estas medidas poderão vir a ter na nossa indústria têxtil”, disse ainda. “Vizela e o seu município não podem ficar alheios a esta situação”, continuou.

Chegada a hora da votação, esta teve que ser efectuada três vezes e a confusão instalou-se. Na primeira votação, um deputado socialista encontrava-se no exterior do auditório e o sufrágio ditou 12 a favor, 12 contra e 3 abstenções, com a desordem em pano de fundo. Entretanto, a Mesa entendeu efectuar nova votação, já com o socialista na sala e a votação foi outra e voltou a fazer-se o processo. O voto de protesto acabou por ser chumbado com 13 votos contra, 12 a favor e 3 abstenções. Situação que deixou revoltada a bancada da coligação, levantando a discussão sobre a seriedade e isenção da mesa da Assembleia Municipal, presidida por João Cocharra."


In Rádio Vizela

 

- Na política institucional - Assembleia Municipal -, os Deputados ou os Grupos Municipais não têm de se sentirem revoltados sobre a possível ou concreta falta de seriedade ou isenção da Mesa da Assembleia:

 

Têm simplesmente de fazer cumprir o regimento da mesma.

 

1 - Se tinham dúvidas sobre a 1ª votação ou 2ª nunca teriam colaborado na 3ª. No fim da 1ª, apresentavam uma declaração de voto e um requerimento a impugnar a 2ª baseada nos factos concretos observáveis.

 

2 - Para dar consistência ao requerimento anexavam a parte da acta respeitante ao assunto e enviavam-na para o Tribunal Administrativo. Ao mesmo tempo davam a conhecer aos respectivos grupos parlamentares a situação "anómala", e estes jurídica e politicamente colocavam a questão em Comissão Especializada ou em pleno Plenário do Parlamento.

 

3 - Os Deputados da Nação existem para colocarem a Democracia no seu devido lugar. Não existem, somente, para encheram a conta com o vencimento/subsídios e ajudas de custo pagos pelos contribuintes.

 

4 - A não ser assim, o assunto morre como morreu o ano 2010.

publicado por José Manuel Faria às 12:08

 

 

Ashley Ann Vickers

publicado por José Manuel Faria às 10:58

 

 

“Se tu quiseres que as pessoas pensem que és muito inteligente, simplesmente concorde com elas”

publicado por José Manuel Faria às 10:24

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





comentários recentes
Olha os socialistas interesseiros, quando dava jei...
Um milhão de euros!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...
Convém informar quais os funcionários que passam/r...
dá pena ver o jorge pedrosa a pedir desculpa por s...
Convinha que o Sr.º Vereador entrasse com o pé dir...
Vizela c/24 km2 e 24 000 habitantes, Presidente e ...
Absolutamente.
E muita malta de paços de ferreira, eu tinha 16 an...
Em campanha é tudo sorrisos, nos postos de trabalh...
Apoiado, e mais só os convites de comissões de hon...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO