02
Jan 11



"A coligação “Por Vizela” apresentou ainda nesta sessão um voto de protesto, “a exemplo do que tem acontecido nas diferentes Assembleias Municipais do Vale do Ave e ao nível da Assembleia Inter Municipal CIM do Ave”, sobre a entrada na Europa a custo zero dos Têxteis do Paquistão. “A coligação, atenta à intervenção que tem vindo a ser efectuada pelo eurodeputado Nuno Melo, entendeu apresentar aqui um voto de protesto”, referiu a deputada Cidália Cunha. “Na CIM do Ave foi criada uma Comissão para analisar um impacto nefasto que estas medidas poderão vir a ter na nossa indústria têxtil”, disse ainda. “Vizela e o seu município não podem ficar alheios a esta situação”, continuou.

Chegada a hora da votação, esta teve que ser efectuada três vezes e a confusão instalou-se. Na primeira votação, um deputado socialista encontrava-se no exterior do auditório e o sufrágio ditou 12 a favor, 12 contra e 3 abstenções, com a desordem em pano de fundo. Entretanto, a Mesa entendeu efectuar nova votação, já com o socialista na sala e a votação foi outra e voltou a fazer-se o processo. O voto de protesto acabou por ser chumbado com 13 votos contra, 12 a favor e 3 abstenções. Situação que deixou revoltada a bancada da coligação, levantando a discussão sobre a seriedade e isenção da mesa da Assembleia Municipal, presidida por João Cocharra."


In Rádio Vizela

 

- Na política institucional - Assembleia Municipal -, os Deputados ou os Grupos Municipais não têm de se sentirem revoltados sobre a possível ou concreta falta de seriedade ou isenção da Mesa da Assembleia:

 

Têm simplesmente de fazer cumprir o regimento da mesma.

 

1 - Se tinham dúvidas sobre a 1ª votação ou 2ª nunca teriam colaborado na 3ª. No fim da 1ª, apresentavam uma declaração de voto e um requerimento a impugnar a 2ª baseada nos factos concretos observáveis.

 

2 - Para dar consistência ao requerimento anexavam a parte da acta respeitante ao assunto e enviavam-na para o Tribunal Administrativo. Ao mesmo tempo davam a conhecer aos respectivos grupos parlamentares a situação "anómala", e estes jurídica e politicamente colocavam a questão em Comissão Especializada ou em pleno Plenário do Parlamento.

 

3 - Os Deputados da Nação existem para colocarem a Democracia no seu devido lugar. Não existem, somente, para encheram a conta com o vencimento/subsídios e ajudas de custo pagos pelos contribuintes.

 

4 - A não ser assim, o assunto morre como morreu o ano 2010.

publicado por José Manuel Faria às 12:08

 

 

Ashley Ann Vickers

publicado por José Manuel Faria às 10:58

 

 

“Se tu quiseres que as pessoas pensem que és muito inteligente, simplesmente concorde com elas”

publicado por José Manuel Faria às 10:24

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





comentários recentes
ja se pode comentar
Perfeitamente de acordo com os comentários.Anterio...
Decisão sensata...
Ó anonimozeco, além de cobarde rateirinho, demonst...
Não há indignados, revoltados,... Totós, ranhetas,...
Que historia é esta de enriquecimento ilícito? Que...
MINISTRA DA COESÃO EM VIZELAOra ora que coincidênc...
Que se passa Dr. Desde Julho que nada publica no s...
Lamento muito, Zé! Abraço.
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO