03
Jan 14

 

A propósito de um ano 2014 ultra/difícil – juros de dívida, passivo altíssimo, receitas insuficientes (apesar de aumentos de taxas e impostos) e diminuição de fundos do OE-, de gerir, o executivo PS (o que “governa”) abre as portas às oposições municipais (PCP, Coligação) e extra/municipais (BE)) e oposição camarária (Coligação). Através de reuniões formais (Dinis Costa, Vitor Hugo Salgado e João Polery) com as direcções dos outros partidos, o executivo compromete-se a trabalhar em conjunto os planos, os projectos e as propostas alternativas na tentativa de criar consensos políticos alargados. Creio que o PCP já aceitou, espera-se que o BE e a Coligação, PSD/CDS não caiam nesta tão previsível armadilha, pois, o único interesse do PS é, colar, as oposições à estratégia do poder: esta, pesca à linha (no futuro de arrasto) e obedece a uma táctica(s) (plano curto) primeira à qual se seguirão outras com o sentido de amarrar os adversários, afirmando que, a haver resultados negativos a responsabilidade é de todos e, caso sejam positivos só ao executivo é assacado os louros.

 

Há um modo de quebrar esta ânsia conciliadora do PS: a Coligação exigir pelouros para os seus Vereadores. {#emotions_dlg.smile}

publicado por José Manuel Faria às 09:23

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
ja se pode comentar
Perfeitamente de acordo com os comentários.Anterio...
Decisão sensata...
Ó anonimozeco, além de cobarde rateirinho, demonst...
Não há indignados, revoltados,... Totós, ranhetas,...
Que historia é esta de enriquecimento ilícito? Que...
MINISTRA DA COESÃO EM VIZELAOra ora que coincidênc...
Que se passa Dr. Desde Julho que nada publica no s...
Lamento muito, Zé! Abraço.
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO