28
Jan 14

 

A Câmara é um órgão de poder (municipal): deve por isso estar acima das organizações profissionais ou sociais - o executivo arrasa o profissionalismo de uma trabalhadora de comunicação social e critica "opinion makers " de uma rádio.

A Câmara é o governo da autarquia, deve manter-se à margem destes "pontos de vista" por causa das suas funções executivas que influenciam o "dia/a/dia" dos cidadãos livres.

Não se imagina o Governo da República a elaborar um Comunicado aos portugueses a criticar as opiniões públicas do Pacheco Pereira ou do prof . Marcelo, assim como, o trabalho jornalístico da Judite de Sousa.

 

Acresce, que em territórios menos extensos (municípios) as pressões sociais, políticas e ou profissionais por parte do poder têm uma muito maior importância colectiva e individual.

publicado por José Manuel Faria às 08:58

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
Será que o Sócrates não teve nada a ver com a Banc...
ANÓNIMO A 19 DE JULHO DE 2020 ÀS 13:09Dinis Costa ...
O tempo “da boa fé e da colaboração institucional”...
Outra vez!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Existe gente que não s...
Dinis Costa em 2 009 recebeu 3 milhões de endivida...
Artigo 133.ºCapacidade do estabelecimento - é só a...
Pede se o favor a quem de direito, que tenham aten...
ANÓNIMO A 11 DE JULHO DE 2020 ÀS 10:57Então diga l...
O Dinis Costa teve o dinheiro dos orçamentos.Mas a...
Leu mal! 13 ( treze ) milhões que Dinis Costa desb...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO