28
Jan 14

 

A Câmara é um órgão de poder (municipal): deve por isso estar acima das organizações profissionais ou sociais - o executivo arrasa o profissionalismo de uma trabalhadora de comunicação social e critica "opinion makers " de uma rádio.

A Câmara é o governo da autarquia, deve manter-se à margem destes "pontos de vista" por causa das suas funções executivas que influenciam o "dia/a/dia" dos cidadãos livres.

Não se imagina o Governo da República a elaborar um Comunicado aos portugueses a criticar as opiniões públicas do Pacheco Pereira ou do prof . Marcelo, assim como, o trabalho jornalístico da Judite de Sousa.

 

Acresce, que em territórios menos extensos (municípios) as pressões sociais, políticas e ou profissionais por parte do poder têm uma muito maior importância colectiva e individual.

publicado por José Manuel Faria às 08:58

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
ja se pode comentar
Perfeitamente de acordo com os comentários.Anterio...
Decisão sensata...
Ó anonimozeco, além de cobarde rateirinho, demonst...
Não há indignados, revoltados,... Totós, ranhetas,...
Que historia é esta de enriquecimento ilícito? Que...
MINISTRA DA COESÃO EM VIZELAOra ora que coincidênc...
Que se passa Dr. Desde Julho que nada publica no s...
Lamento muito, Zé! Abraço.
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO