18
Jun 14

 

- Dinis Costa sempre com os vencedores

publicado por José Manuel Faria às 16:45

 

https://www.facebook.com/psd.vizela

 

publicado por José Manuel Faria às 10:32

 

publicado por José Manuel Faria às 09:29

17
Jun 14



publicado por José Manuel Faria às 18:40

publicado por José Manuel Faria às 10:29

 

(...)"Do Bloco, os sinais são de uma disponibilidade condicional para encontrar denominadores comuns. Na última reunião da Mesa Nacional do partido, a ex-deputada Ana Drago avançou com uma proposta para que o BE se sentasse à mesa com o Livre, o movimento 3D e o PAN. Por dez votos (33 contra, 23 a favor), a proposta caiu. Pouco depois, João Semedo veio dizer que é preciso mais. "Não imagino uma alternativa de esquerda em Portugal sem o BE, mas também não imagino uma alternativa de esquerda sem o PCP", disse o coordenador do partido em entrevista à Antena 1. Esse posicionamento do BE não é, de resto, novo. No ano passado, o partido já tinha proposto "rondas de negociação" com o PS e o PCP para chegar a um programa de governo de esquerda. Sem sucesso.

 

Além do "como" está ainda por esclarecer o "quando". E, aí, a realidade corre em contra-relógio. Daniel Oliveira fala no "início do próximo ano" como o momento-limite para que "haja uma candidatura que represente as pessoas à esquerda do PS". Para Rui Tavares, o calendário é mais apertado, até porque a pressão voltou a subir nas últimas semanas, com os ataques do governo ao Tribunal Constitucional (TC) após o chumbo a três normas do Orçamento do Estado."

 

Jornal i

publicado por José Manuel Faria às 08:45

16
Jun 14

 - empate a 1:

 

publicado por José Manuel Faria às 08:48

15
Jun 14


publicado por José Manuel Faria às 09:34

 

O maior partido da oposição entrou em conflito político interno, pelo menos durante quatro meses (Junho, Julho, Agosto e Setembro) o PS, tentará tudo para implodir. Ora, esta estratégia suicida, colocará em alerta máximo as oposições  à esquerda do PS: PCP, BE, LIVRE e demais organizações/associações políticas, têm uma oportunidade de ouro para crescerem e ou coligarem-se, rasgando o ímpeto vencedor socialista, assumido por Seguro e Costa. Creio, no entanto, que as lutas pela possibilidade de eleger mais um deputado dos “nossos” superará o interesse social de alterar o programa e os protagonistas de quem nos desgoverna, mais, nestes momentos parece que as rivalidades mais profundas vêm à superfície – “ nós não elegemos, mas os outros também ficam de fora “- e, assim, milhares de votos encaminham-se para o lixo, desnecessariamente.  

publicado por José Manuel Faria às 09:18

14
Jun 14

publicado por José Manuel Faria às 09:23

13
Jun 14

publicado por José Manuel Faria às 10:35

 

nº de posts: 8235

nº de comentários: 20720

Média: 2,51 comentários por post.

 

posts mais comentados:

  1. Lista da Coligação PSD/CDS: uma candidatura suficiente...não surpreendeu. (100 comentários)
  2. Lista Independente desafia PCP e BE. (82 comentários)
  3. Miguel Lopes, PSD (73 comentários)
  4. Sozinho? (68 comentários)
  5. João Ilídio Costa não entra na "corrida" eleitoral autárquica em Vizela - Apela a Dinis Costa que se afaste da política municipal.(53 comentários)
publicado por José Manuel Faria às 08:26

12
Jun 14

Apoiantes de Costa não excluem vaga de demissões na bancada do PS

publicado por José Manuel Faria às 18:43

publicado por José Manuel Faria às 12:01

publicado por José Manuel Faria às 11:51

11
Jun 14

 

 Ana Drago deveria criar um grupo de reflexão e proposta política com militantes "independentes" e parte dos das correntes do BE com intuito de vencer a direcção do Partido: Em seguida centenas de ex: do BE voltariam ao partido, e este cresceria também à custa de eleitores do PS, LIVRE, abstencionistas e muito voto MPT. Basta a camarada dar um sinal e o exército avança.

publicado por José Manuel Faria às 08:39

10
Jun 14

 

 

BALANÇO E CONCLUSÃO DO MANIFESTO 3D

Documento aprovado na reunião de promotores do Manifesto 3D

realizada em 7 de Junho de 2014

 

 

Os promotores do Manifesto 3D vêm dar conhecimento aos subscritores das conclusões que extraíram das reuniões realizadas em Coimbra, Lisboa e Porto nos dias 9, 10 e 11 de Abril passado com grupos de subscritores e das decisões daí decorrentes sobre o futuro do Manifesto 3D.

 

Aos subscritores presentes nas reuniões foi previamente distribuído um documento de reflexão (”Encontros de subscritores do Manifesto 3D – Notas para a discussão“) do qual constava uma análise da situação política, um balanço das ações do M3D (nomeadamente da sua tentativa de promover uma candidatura comum de esquerda às eleições europeias) e um capítulo de reflexão sobre o futuro onde eram colocadas várias questões que poderiam enquadrar a discussão.

 

É o seguinte o balanço que fazemos destas reuniões de subscritores:

 

  • A generalidade dos subscritores presentes reafirmou de forma clara que consideram fundamental a constituição de um polo aglutinador de esquerda, representativo e forte, que não seja apenas uma força de oposição às políticas de austeridade mas possa contribuir para a construção de uma alternativa real de governação

 

  • A maioria dos presentes defendeu a transformação do M3D numa plataforma de intervenção política mais ativa, sem que houvesse porém consenso quanto ao formato dessa plataforma, sendo a criação a curto prazo de um novo partido político defendida por uma minoria de subscritores

 

Considerando o resultado da sua ação até aqui e os sentimentos e as razões expostos pelos subscritores, os promotores do M3D reunidos em 7 de Junho de 2014 decidiram:

 

1. Não considerar a transformação do Manifesto 3D numa organização política, qualquer que seja o seu estatuto e objetivo, por considerar que o texto do Manifesto 3D, já assinado por mais de 5.400 subscritores, não legitima de forma inequívoca essa transformação.

 

2. Pôr termo à sua atividade enquanto Comissão Promotora e a qualquer forma de intervenção pública em nome do Manifesto 3D.

 

3. Reafirmar a necessidade da construção de um polo de esquerda que saiba somar à oposição à austeridade a vontade de participar na governação e na resolução responsável dos problemas do país.

 

Posto isto, e considerando em particular o resultado das recentes eleições europeias, onde foi expressa de forma clara a rejeição dos partidos do atual Governo, a reduzida confiança na alternativa representada pelo Partido Socialista, uma crescente desvinculação do atual sistema político por parte dos eleitores e a procura por muitos cidadãos de novas formas de intervenção no plano cívico e político-partidário, estamos convictos de que:

 

  • os resultados das eleições para o Parlamento Europeu demonstraram que a proposta do M3D de uma candidatura às eleições europeias que reunisse numa base programática comum o Bloco de Esquerda, o partido Livre, a Renovação Comunista, o M3D e outras organizações políticas, movimentos e pessoas fazia sentido, era oportuna e era possível

 

  • existe um número muito significativo de cidadãos empenhados na construção de uma solução governativa à esquerda que compreendem a necessidade e sentem a urgência de construir um terreno comum onde seja possível o entendimento entre diferentes forças de esquerda e veem com desencanto e desagrado a recusa da procura desse entendimento

 

  • existe um número importante de cidadãos à esquerda que considera necessária uma reconfiguração do atual panorama político-partidário que possa dar origem a esse entendimento entre forças de esquerda capaz de produzir uma solução governativa

 

  • a proposta de entendimento à esquerda que foi lançada pelo M3D deixou sementes positivas no debate político que germinarão em novas iniciativas

 

Assim, enquanto promotores do Manifesto 3D, reafirmamos a nossa determinação na construção de uma alternativa de governação à esquerda e o nosso empenho na construção dos instrumentos que possam corporizar essa alternativa. No entanto, as futuras iniciativas que venham a materializar-se nesse sentido, ainda que beneficiem da herança e do capital de experiência recolhido pelo M3D, não se realizarão sob essa designação.

 

Os promotores do Manifesto 3D reunidos em 7 de Junho de 2014

publicado por José Manuel Faria às 21:06

 

 

COMUNICADO

 

A Comissão Politica Concelhia de Vizela reunida, ontem dia 09 de Junho, pelas 21.00 horas na sede do Partido, vem pelo presente informar:

  1. O Presidente da Comissão Politica Concelhia, Dinis Costa, apoia o Candidato António Costa a Secretário-geral do Partido Socialista.
  2. Colocada à votação dos camaradas da Comissão Politica, o Candidato António Costa venceu com 98% dos votos.
  3. Foi ainda votada por unanimidade a proposta do nosso Presidente da C.P.C., da realização de um congresso extraordinário, com carater de urgência, a enviar à Comissão Nacional.

 

Aproveitamos ainda para informar que o candidato António Costa estará em Vizela no próximo domingo dia 15, pelas 12,15h. na sede do Partido, para falar aos militantes, seguido de almoço.

Apelamos à mobilização de todos os Socialistas para este almoço em apoio aquele que será, seguramente, o futuro Primeiro-ministro de Portugal.

Saudações Socialistas

 João Polery

publicado por José Manuel Faria às 11:18

publicado por José Manuel Faria às 08:48

publicado por José Manuel Faria às 08:42

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



comentários recentes
António Costa protagoniza arruada este domingo em ...
e o carvalhinho tambem entra nas contas? Sempre no...
Um livro, critérios diferentes:O livro das bandas ...
Quem é esta Irene Costa?É Socialista? militante? h...
"Não deixei de ser quem fui, não vou alterar em na...
Comissão Administrativa da Concelhia do Partido So...
Os PS (grandes) só se lembram dos militantes para ...
Olha os socialistas interesseiros, quando dava jei...
Um milhão de euros!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...
Convém informar quais os funcionários que passam/r...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO