29
Nov 14

 

Para vencer a crise da democracia,

Uma resposta democrática

 

Os promotores da Convenção para uma candidatura cidadã às eleições legislativas de 2015 e subscritores iniciais da sua convocatória reuniram no dia 29 de novembro de 2014 para dar início aos trabalhos preparatórios da Convenção. Aprovaram as normas orientadoras da preparação da Convenção, decidiram a sua organização em grupos de trabalho, elegeram um secretariado e um grupo de coordenação programática e marcaram nova reunião para dia 24 de janeiro para aprovação das propostas que sujeitarão à discussão na Convenção. Decidiram ainda lançar um processo democrático de escolha do nome, a propor à convenção, e que se concluirá no dia 8 de dezembro.

O tempo é de mobilização, não de demissão nem de alheamento da política. Perante as fragilidades das instituições económicas, políticas e jurídicas da sociedade portuguesa, lutamos pelo reforço do princípio constitucional da separação de poderes, bem como por assegurar os direitos, as liberdades e as garantias dos cidadãos. Pugnamos pela igualdade perante a lei e pela justiça social. Não aceitamos a captura do estado por interesses privados, nem a banalização da falta de transparência, do abuso de poder e da corrupção. Orgulhamo-nos da Constituição da República Portuguesa e nela encontramos os princípios fundamentais para a construção de uma sociedade justa e de futuro. Fazemos da sua defesa e da sua efetivação uma razão de ser da nossa intervenção cidadã. A crise da democracia só se resolverá com uma democracia de maior intensidade. É também para isso que cá estamos.

É a resposta democrática de quem não se conforma com os modos habituais da política e com os bloqueios do atual quadro partidário. É a resposta de quem quer construir um programa e um mandato claro para a governação, que não escamoteie os constrangimentos internos e externos que terão de ser enfrentados por uma nova maioria de governo, nem as escolhas difíceis que se perfilam. Um mandato para cumprir a Constituição não só como repositório de direitos, mas como horizonte de progresso. Uma resposta em que o Estado Social de Direito prevaleça contra a dívida e não se submeta à austeridade, à desvalorização do trabalho e à perda de direitos sociais inscritas no Tratado Orçamental e nas atuais políticas europeias.

A Convenção, cuja preparação agora se inicia, será aberta à participação de todas e todos que subscrevam a sua convocatória. Incumbe à Convenção: (a) definir os princípios programáticos da candidatura cidadã;

(b) organizar o processo deliberativo aberto de construção do seu programa eleitoral; (c) aprovar o regulamento das eleições primárias abertas para constituição das listas candidatas; (d) eleger os coletivos de coordenação da candidatura cidadã.

A Convenção para uma Candidatura Cidadã, a realizar a 31 de janeiro de 2015, em Lisboa, será o início de um processo político que tem por objetivo ganhar o país para um programa transformador, pôr termo à violência antissocial da direita e conseguir uma maioria parlamentar e um novo governo que não se submetam à austeridade e ao empobrecimento. Que dignifiquem a democracia e façam da igualdade o eixo central de um novo contrato social e a alavanca para um novo modelo de desenvolvimento.

O tempo é escasso até à Convenção. É preciso aproveitá-lo, mobilizando vontades, construindo coletivos locais, discutindo linhas programáticas e modos de intervenção política, organizando a participação na Convenção. É tempo de avançar.

Os Promotores da Convocatória
29 de novembro de 2014

NOTA: os documentos aprovados estarão disponíveis no site em breve.

publicado por José Manuel Faria às 23:34

 

Braga

 

Vizela

 

 
Guimarães

 

 - 621 Escolas.

publicado por José Manuel Faria às 09:37

Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





comentários recentes
as mesmas que nos últimos 8 anos!!!!!!!!!!!!!!!
tantas como nos anos anteriores
E está muito bem não faz falta nenhuma, boas féria...
Muito pouco eloquente, muito fraquinho este senhor...
Acho uma falta de coerência tamanha este género de...
Existem pessoas que dizem mal só por prazer, só po...
Mas desde quando alguém tem medo da Dora?A Dora de...
Por falar em ambiente:- Quantas casas de banho ins...
Nunca em lado algum está tudo realizado. A Dora qu...
Foi esta Dora Gaspar, presidente deste P.S. moribu...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

13 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO