13
Jul 15

 Acredito ser um filme que todos devem assistir, porque é de uma sensibilidade fantástica, fotografia linda, cenas que são inesquecíveis e trilha sonora maravilhosa. A música Gocce di Memoria (Gotas de memória) de Giorgia tem lugar de destaque, principalmente no final do filme. A letra dessa canção acaba com a gente, principalmente para quem vive ou viveu uma paixão tão desesperadora que ficará impressa em sua memória pra sempre. Garanto que ver Lorenzo abraçando desesperadamente Giovanna ao implorar que fique com ele ou ela correndo desesperada pelas escadas arrependida da idiotice que fez, são cenas das mais belas que a natureza humana proporciona aos enamorados e que essa obra consegue captar tão bem. Um homem louco de amor como interpreta Bouva faz com que acreditemos que há conexões inexplicáveis, ligando pessoas desconhecidas como se fossem essenciais à própria existência como o ar. Aquela mulher louca de paixão mas covarde, só se dá conta que um desconhecido é o grande amor de sua vida quando a chance de perdê-lo se configura. Enfim, creio ser essa obra uma oportunidade para redescobrir como é bom viver um grande amor mesmo que não seja um amor realizável. Parafraseando Tiê, em sua canção Piscar o Olho, há amores que vem com a tarjeta de identificação: Não era amor pra todo dia, temos medo, mas mesmo assim dizemos sim ao que todos apontam como loucura, inclusive nós mesmos! Às vezes a vida é assim, acabamos contrariando tudo que acreditamos porque a paixão consome a nossa paz. 

 

publicado por José Manuel Faria às 09:42

De acordo com várias fontes, o Governo grego liderado por Alexis Tsipras acabou por concordar com a maioria das medidas reclamadas pelos credores, que terá que aprovar a nível legislativo até à próxima quarta-feira, tendo sido as divergências quanto a dois pontos, designadamente o fundo de privatizações reclamado pelos credores, assim como a participação do Fundo Monetário Internacional no novo programa de assistência, que fizeram prolongar em várias horas os trabalhos. 

publicado por José Manuel Faria às 08:20

(...)Democracia, liberdade e soberania

Os gregos estão a levantar na prática a mais importante questão europeia em tempos de paz: a construção europeia está a fazer -se contra a democracia e só no espaço soberano é que ainda resiste alguma democracia. A questão da soberania na Europa de hoje é essencialmente a questão da democracia. No meu país eu ainda mando, embora cada vez menos; na Europa, só os mais poderosos, como os alemães, mandam. O meu voto já não decide os orçamentos, mas sim os burocratas de Bruxelas e os seus mandantes políticos. Estamos, como na revolução americana, “no taxation without representation”.(...)

publicado por José Manuel Faria às 08:05

Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
Quim Barreiros e Expensive Soul nos festejos do 19...
Victor Hugo Salgado oficializa recandidatura em ma...
Se para festejar o dia do concelho são precisos ta...
AG até se entende que ao falares no passado não f...
Cada vez que leio o RV nem sei que diga em sei que...
283.000 pensionistas têm penções miseráveis, isso ...
São os memos argumentos da Opus Dei....
"Victor Hugo Salgado respondeu, mas antes voltou a...
Quantos quer? 1,3,5,6,7, quer com nomes começa no ...
O melhor vereador das Obras Municipais?!Basta ver ...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO