15
Set 17

"(...)

Pelo contrário, as propostas até agora anunciadas para o imóvel pela candidatura adversária do Movimento Vizela Sempre (MVS), apontam para a criação de um “Centro Empresarial no Castelo da Ponte”. As muitas dúvidas que este projeto suscita, radicam na ligeireza (ou inexistência) de qualquer estudo efetuado. Deste modo: quantas start-ups, escritórios ou showrooms pretendem instalar numa área bruta de 7 458 m2? Quantos espaços de restauração para alugar? Sem pretender limitar a livre concorrência, não está Vizela bem servida na área da Restauração? O que pretendem fazer com a parcela sobrante? Qual o valor a despender na requalificação do imóvel? Ou, quais as fontes de financiamento?
Esta promessa eleitoral, agora apresentada pelo MVS, revela, também, uma tendência megalómana, fazendo-nos recordar a triste e conhecida história devotada ao edifício. Oxalá que todos nos venhamos a enganar, pois Vizela não pode repetir os erros do passado. Contudo, será útil relembrar, foi no seu ultimo mandato que o dr. Francisco Ferreira, hoje destacado apoiante do MVS, anunciou, com aparato e minúcia, a instalação duma Biblioteca e dum Auditório no Castelo da Ponte. Este ambicioso projeto, que implicava um elevado orçamento de milhões de euros, revelou-se num monumental embuste, tendo sido despudoradamente abandonado, ditado, refira-se, pelo já claro endividamento municipal de então. Foi este recuo a ditar o início do inexorável processo de degradação do secular edifício até aos nossos dias"
rv 

publicado por José Manuel Faria às 17:20

 

 

Qual a diferença entre o período de campanha (legalmente previsto) e o período anterior?

 

1 - A diferença reside no facto de as candidaturas, no período legal de campanha, beneficiarem de meios adicionais (tais como: tempos de antena e espaços especiais para afixar propaganda) e de uma especial proteção na atividade de campanha.

 

As candidaturas têm direito à emissão de tempos de antena?

 

2 - Sim, desde que concorram a ambos os órgãos municipais (câmara e assembleia municipal), sendo os tempos de antena transmitidos nas rádios locais durante o período de campanha eleitoral.

 

 

  • 3 - Posso incluir slogans de campanha em anúncios publicitários referentes à realização de um determinado evento?

    Não. A inclusão de slogans de campanha ou quaisquer outras expressões apelativas excede os elementos identificadores e informativos do evento anunciado.

  • 4 - Posso invocar em anúncios de atividades de campanha os nomes e a qualidade de titulares de cargos públicos dos intervenientes?

    Não. Os anúncios de realizações de campanha não devem conter o nome dos intervenientes com invocação da sua qualidade de titulares de cargos públicos, pois tal pode constituir uma forma de violação dos seus deveres de neutralidade e de imparcialidade.

    informação

    informação 2

publicado por José Manuel Faria às 11:14

 

publicado por José Manuel Faria às 11:05

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13




comentários recentes
Será que o Sócrates não teve nada a ver com a Banc...
ANÓNIMO A 19 DE JULHO DE 2020 ÀS 13:09Dinis Costa ...
O tempo “da boa fé e da colaboração institucional”...
Outra vez!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Existe gente que não s...
Dinis Costa em 2 009 recebeu 3 milhões de endivida...
Artigo 133.ºCapacidade do estabelecimento - é só a...
Pede se o favor a quem de direito, que tenham aten...
ANÓNIMO A 11 DE JULHO DE 2020 ÀS 10:57Então diga l...
O Dinis Costa teve o dinheiro dos orçamentos.Mas a...
Leu mal! 13 ( treze ) milhões que Dinis Costa desb...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO