19
Jun 19

publicado por José Manuel Faria às 12:40

 

 

 

 

“Era, pois, em 1851, aos 15 de Junho, nas Caldas de Vizela.”

 

Seria deveras interessante, passados cento e sessenta e oito anos, observar Camilo “entre os salgueiros que enverdecem uma ilheta acima da ponte que hoje chamam «velha»”. 
É neste sinceiral que se dá o começo da novela Gracejos que Matam. Entre quais personagens se daria hoje o duelo, quem seria capaz de melhor esgrimir os argumentos, ferindo de morte o adversário? O mais certo seria Camilo concluir que o ar sulfúrico de Vizela continua a fazer vítimas.  
Camilo Castelo Branco procurou em Vizela a cura para as suas maleitas. 
As temporadas passadas nas termas fizeram eco na sua literatura, sendo a narrativa de Gracejos que Matam o exemplo mais flagrante desse facto. Aqui travou conhecimento com as mais diversas personagens, alimentando a trama nos meandros das margens do Vizela. A leitura da referida novela permite-nos fazer essa travessia, com uma distância temporal de vinte anos. 
O narrador faz questão de nos elucidar para pormenores do antes e depois, as transformações ocorridas durante esse período, como, por exemplo, nos demonstra a seguinte passagem: “Ao repontar da manhã, atravessámos o Vizela por umas alpondras sobre as quais se encurvam hoje os arcos da Ponte Nova.” A vida de Camilo talvez tenha sido um contínuo duelo consigo mesmo, ao qual decidiu pôr termo com uma bala na cabeça. Deixou-nos uma obra inigualável, em quantidade e qualidade. Ser parte desse murmúrio que percorre a corrente das páginas devia ser um privilégio para nós, enquanto vizelenses. 
Certamente, o nosso olhar readquiria uma nova forma de olhar vários elementos que fazem parte da nossa cultura e património.  “Estava eu a entalhar um M na casca de um amieiro. Era a inicial de uma das cinco Marias que eu amava.”
Hélder Magalhães

publicado por José Manuel Faria às 12:04

publicado por José Manuel Faria às 11:33

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





comentários recentes
Ó Sérgio lá se foi a bica quente, vejam se o meu ...
Parece que as Termas de Vizela, também não pagaram...
É impressionante, o Presidente está em todo lado t...
Grande Sérgio Coelho, é na mouche, tens um admirad...
Candidatura - valor 1.843,085.57 Eur, Valor da obr...
Alguém com lucidez, que vai ao encontro de muitos ...
Hoje vão iniciar as obras na Praça e no Jardim, es...
Mais informa a CMV que a manter-se esta situação i...
Este Sérgio Coelho diz as coisas na mouche, muito ...
Retrato do Município de Vizela pela PORDATA 19 de...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO