23
Out 08

http://www.credicon.com.br/imagens/financiamento.jpg

A transparência absoluta no financiamento dos partidos políticos é uma condição essencial à democracia. E se na democracia portuguesa essa transparência existe ao nível dos fundos estatais, é evidente que tem também de se verificar quando se fala de contributos privados para os cofres dos partidos.

 

Os partidos políticos são os pilares da democracia. Estes têm de dar o exemplo. E parte deles são organizações financiadas por interesses corporativos ou individuais com intuito de os beneficiar. A Lei do financiamento partidário pecou por tardia. Há dúvidas no OE2009 a AR que esclareça totalmente.

 

As quotas e as ofertas particulares  partidárias não podem ser pagas com diheiro vivo, pois a facturação pode ser falsificada para baixo. O cheque e o cartão de débito ou de crédito são dois modos de controlar.


ps: A rigidez da Lei não deveria ser aplicada às Festas. Alguém imagina o visitante pagar em cheque um copo de vinho e uma patanisca!

publicado por José Manuel Faria às 10:30

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
Perfeitamente de acordo com os comentários.Anterio...
Decisão sensata...
Ó anonimozeco, além de cobarde rateirinho, demonst...
Não há indignados, revoltados,... Totós, ranhetas,...
Que historia é esta de enriquecimento ilícito? Que...
MINISTRA DA COESÃO EM VIZELAOra ora que coincidênc...
Que se passa Dr. Desde Julho que nada publica no s...
Lamento muito, Zé! Abraço.
E justo porquê? O tem a ver o cu com as calças?Iss...
Então este é que manda, porque o presidente é que ...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO