24
Out 08

E que tal um pano encharcado nas trombas?

 

João César das Neves, o conhecido e bolorento beato e economista, defendeu, num encontro de “empresários cristãos”, a ideia de que “a actual crise financeira internacional deveria afectar Portugal com mais violência para estimular a economia, já que a crise anterior não foi suficiente”.

Eu, mesmo sem ser teórico de coisa nenhuma, assim de repente, consigo lembrar-me de uma razoável quantidade de objectos e substâncias (cujos nomes não divulgarei, por uma questão de decoro) que também deveria atingir João César das neves com bastante violência.

Não estimularia nada a economia... mas dava-me um grande gozo!
 

 

O sistema gosta de crises, provoca falências e assim as empresas podem renascer com menos empregados ou outros funcionários e se correr mal, o Estado dá aval às instituições financeiras para estas continuarem a "injectar" dinheiro nas mesmas, a bem da economia.

Quando os bancos apresentarem lucros de 30% ao ano estes são aplicados na roleta bolsista, a bem da economia.

publicado por José Manuel Faria às 22:59

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





comentários recentes
Será que o Sócrates não teve nada a ver com a Banc...
ANÓNIMO A 19 DE JULHO DE 2020 ÀS 13:09Dinis Costa ...
O tempo “da boa fé e da colaboração institucional”...
Outra vez!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Existe gente que não s...
Dinis Costa em 2 009 recebeu 3 milhões de endivida...
Artigo 133.ºCapacidade do estabelecimento - é só a...
Pede se o favor a quem de direito, que tenham aten...
ANÓNIMO A 11 DE JULHO DE 2020 ÀS 10:57Então diga l...
O Dinis Costa teve o dinheiro dos orçamentos.Mas a...
Leu mal! 13 ( treze ) milhões que Dinis Costa desb...
subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO