05
Mai 09

 

 

O Camarada Coordenador da Comissão Política do Bloco de Esquerda, afirma que a pior solução governativa seria uma Coligação PS/PSD. Estou de acordo: as políticas anti-populares e anti-sociais continuariam, seria mais do mesmo, e a oposição ( 30% ) não teria capacidade alguma de influenciar o Poder. A única mudança certa, a troca de alguns boys/girls do PS pelo PSD.

Concordo igualmente com a preferência de um PS minoritário sozinho a um Centrão.

Discordo de Louça num ponto. Como não acredito que o PS avance só, e sabendo da disponibilidade, vontade e apetência do CDS pelo Poder, facilmente Sócrates enveredará por uma Coligação pós – eleitoral com Paulo Portas.

Esta solução facilitará o combate do PCP e do BE ao novo governo, mas alguém sairá altamente prejudicado: os trabalhadores.

É imprescindível a Esquerda colocar todas as hipóteses em cima da mesa no pós-eleitoral. Os mais desfavorecidos assim o querem. Um governo de Sócrates com inclinação ainda maior à direita, será o fim da esperança de um País melhor.

Urge uma solução governativa de Esquerda.

publicado por José Manuel Faria às 10:31

3 comentários:
Percebo onde quer chegar.

Mas como deve calcular, o BE nunca se poderá aliar ao Sócrates, e dar-lhe o aval ás politicas de direita que ele tem implementado.

Por isso essa alternativa de homens e mulheres de esquerda , só pode ser construida na base, e nas lutas, e não por decisão das direcções partidárias.

Aliás veja como o PCP reagiu aos acontecimentos do Martim Moniz, a tentativa de meter o BE ao barulho para se auto-desculpabilizar, e a forma provocatoria como arranjou um bode expiatorio, que sem rebuço e á boa maneira PIDESCA, colocou a circular na Net, com nome , rosto etc.

É por isso que essa aliança de esquerda , é tão dificil em Portugal, o sectarismo entranhado no PCP ao longo dos anos, fez escola,aliás o PCP assume que lhe é mais facil fazer alianças com o PSD e o CDS, por exemplo nas autarquias.

E sem uma alternativa de esquerda que englobe o BE, a esquerda do PS ( sectores do Alegre) o PCP, e independentes, será dificil uma alternativa de governo.

Mas também estou consciente que muito tem de ser mudado nas mentalidades de muitos militantes de esquerda para que essa alternativa possa ser viavel, e isso leva o seu tempo.

Se nem para uma Junta de Freguesia ou uma Câmara de pequena dimensão se consegue essa unidade, como quer que seja possivel a curto prazo uma aliança , para governar o País.
a.pacheco a 5 de Maio de 2009 às 12:53

O melhor cenário que poderia acontecer a Portugal seria a implosão do PS, dando origem a um partido de esquerda e outro social-democrata, e naturalmente a implosão do PSD, permitindo a parte dos sociais-democratas que ainda por lá restam, fundirem-se com os oriundos do PS, e aprecer um partido Liberal à Direita, e outro Conservador (que até poderá ser o CDS). A consequência seria a impossibilidade de maiorias absolutas, e passarem a existir governos com 3 partidos, o que até poderia ser positivo (pelo menos outros países não se queixam). À esquerda do PS não seriam previsiveis neste cenário grandes alterações. Talvez um dia...
António de Almeida a 5 de Maio de 2009 às 15:02

Caro, António,

A sua ideia para o centro - esquerda, centro-direita e direita faz muito sentido, quase o tipo Inglês.
José Manuel Faria a 5 de Maio de 2009 às 18:12

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






comentários recentes
Realmente????????Vejam se concordam:Tal como aos d...
agora é o Abrunhosa com a banda, é o toy, é a luis...
Que bem que o presidente da ACIV está nas fotos do...
Ás vezes o estar calado é o melhor, no JV vem uma ...
Preocupações pertinentes e que foram apresentadas ...
Um PSD ressabiado, tentando misturar nas tricas do...
-O futuro de Vizela foi abordado por Victor Hugo q...
O gury vais ver que foi por isso que o povo te pôs...
O gury vais ver que foi por isso que o povo te pôs...
No tempo em que lá andei resolvia-se o assunto com...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

13 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO