05
Mai 09

 

 

O Camarada Coordenador da Comissão Política do Bloco de Esquerda, afirma que a pior solução governativa seria uma Coligação PS/PSD. Estou de acordo: as políticas anti-populares e anti-sociais continuariam, seria mais do mesmo, e a oposição ( 30% ) não teria capacidade alguma de influenciar o Poder. A única mudança certa, a troca de alguns boys/girls do PS pelo PSD.

Concordo igualmente com a preferência de um PS minoritário sozinho a um Centrão.

Discordo de Louça num ponto. Como não acredito que o PS avance só, e sabendo da disponibilidade, vontade e apetência do CDS pelo Poder, facilmente Sócrates enveredará por uma Coligação pós – eleitoral com Paulo Portas.

Esta solução facilitará o combate do PCP e do BE ao novo governo, mas alguém sairá altamente prejudicado: os trabalhadores.

É imprescindível a Esquerda colocar todas as hipóteses em cima da mesa no pós-eleitoral. Os mais desfavorecidos assim o querem. Um governo de Sócrates com inclinação ainda maior à direita, será o fim da esperança de um País melhor.

Urge uma solução governativa de Esquerda.

publicado por José Manuel Faria às 10:31

3 comentários:
Percebo onde quer chegar.

Mas como deve calcular, o BE nunca se poderá aliar ao Sócrates, e dar-lhe o aval ás politicas de direita que ele tem implementado.

Por isso essa alternativa de homens e mulheres de esquerda , só pode ser construida na base, e nas lutas, e não por decisão das direcções partidárias.

Aliás veja como o PCP reagiu aos acontecimentos do Martim Moniz, a tentativa de meter o BE ao barulho para se auto-desculpabilizar, e a forma provocatoria como arranjou um bode expiatorio, que sem rebuço e á boa maneira PIDESCA, colocou a circular na Net, com nome , rosto etc.

É por isso que essa aliança de esquerda , é tão dificil em Portugal, o sectarismo entranhado no PCP ao longo dos anos, fez escola,aliás o PCP assume que lhe é mais facil fazer alianças com o PSD e o CDS, por exemplo nas autarquias.

E sem uma alternativa de esquerda que englobe o BE, a esquerda do PS ( sectores do Alegre) o PCP, e independentes, será dificil uma alternativa de governo.

Mas também estou consciente que muito tem de ser mudado nas mentalidades de muitos militantes de esquerda para que essa alternativa possa ser viavel, e isso leva o seu tempo.

Se nem para uma Junta de Freguesia ou uma Câmara de pequena dimensão se consegue essa unidade, como quer que seja possivel a curto prazo uma aliança , para governar o País.
a.pacheco a 5 de Maio de 2009 às 12:53

O melhor cenário que poderia acontecer a Portugal seria a implosão do PS, dando origem a um partido de esquerda e outro social-democrata, e naturalmente a implosão do PSD, permitindo a parte dos sociais-democratas que ainda por lá restam, fundirem-se com os oriundos do PS, e aprecer um partido Liberal à Direita, e outro Conservador (que até poderá ser o CDS). A consequência seria a impossibilidade de maiorias absolutas, e passarem a existir governos com 3 partidos, o que até poderia ser positivo (pelo menos outros países não se queixam). À esquerda do PS não seriam previsiveis neste cenário grandes alterações. Talvez um dia...
António de Almeida a 5 de Maio de 2009 às 15:02

Caro, António,

A sua ideia para o centro - esquerda, centro-direita e direita faz muito sentido, quase o tipo Inglês.
José Manuel Faria a 5 de Maio de 2009 às 18:12

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






comentários recentes
Muito Conveniente esta Ausência dos Senhores Jorna...
muito boa descrição de tachos!Só se esqueceu de di...
Sr. anónimo desde quando os funcionários da câmara...
Já agora! Peditorios? Uma coisa é deixar as estagi...
Não sejam maus, se faz porque faz, se não faz porq...
Pois! Os Drs no passeio com o mister presidente e ...
Nos postos médicos ja à algum tempo que eles tem o...
Ó mas isso ainda agora é assim, nas fotografias es...
Ó Victor Hugo andas a pagar a pessoal para andar c...
na altura das arruadas o centro de saude levava cá...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

13 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO