26
Fev 10

"São por demais evidentes as consequências da integração de uma economia com estrutura produtiva frágil, como é ainda hoje a economia portuguesa, numa zona económica muito mais forte. Esse foi um erro dos decisores políticos do PS, PSD e CDS, apoiados nos grupos económicos e financeiros portugueses que viram na entrada de Portugal, primeiro na CEE e depois na União Europeia e na zona euro, a possibilidade de negócios com o acelerar das privatizações de sectores estratégicos, com as liberalizações, as taxas de juro mais baixas e os fundos estruturais que viriam apoiar a reconstrução de grupos monopolistas à custa da destruição rápida do sector empresarial do Estado e do que restava da reforma agrária e das políticas nacionais no âmbito do apoio à produção, incluindo na agricultura e nas pescas. "

 

 - O PCP deveria ser um partido coerente e afirmar sem rodeios a necessidade de Portugal abandonar a União Europeia. Creio, que até a população comunista e de outras ideologias agradeceriam essa decisão.

publicado por José Manuel Faria às 12:01

10 comentários:
tá o meu caro amigo muito enganado...
o PCP é um partido coerente.
a sua linha de pensamento é perigosa... é do tipo, se não se está de acordo, abandona-se! ora levado em boa conta, o meu amigo já não era do BE , já não seria Vizelense, se calhar já não seria até do Belenenses!!! porque seguramente não está de acordo com o rumo que têm seguido! certo? então "saía" de todo isto!!!!

a questão é outra!
a questão é saber que Europa queremos construir! a dos povos, ou a do capital!?
é esta Europa que o meu amigo defende? a da moeda única que serve em primeiro lugar as economias fortes e esmaga ainda mais as mais fracas, a deste pacto de estabilidade, da militarização e da guerra,da destruição da agricultura e das pescas nacionais, da destruição de serviços públicos e da privatização de serviços.
ou é outra? é que se defende outra, como penso e espero que seja o caso, então tente ler o que lá está e compreender o que é dito! esse palavrorio com 20 anos de ataque ao PCP que sempre e reiteradamente foi rebatido e explicado, já toda a gente percebeu o que o PCP defende e não defende, que o Vital Moreira e outros sectários , continuem a bater no ceguinho , até compreendo, agora o meu amigo... deixe-se lá disso!
Anónimo a 26 de Fevereiro de 2010 às 13:02

Caro amigo não compare o que é incomparável. Divergências, são divergências. O que está aqui citado e sublinhado são as mesmas posições que o PCP tinha em 1986, isto é, o Não à CEE. Outra Europa, sim. Com uma Constituição referendada, igualdade plena entre países , solidariedade com os mais desfavorecidos, etc., uma União Europeia socialista. Sou internacionalista e europeísta. O PCP é nacionalista e não vê nada de bom na UE. Se sim, dê exemplos.
José Manuel Faria a 26 de Fevereiro de 2010 às 13:28

o Zé Manel se em vez de colocar apenas as primeiras linhas, tivesse lido o texto todo e já agora colocado tambem as ultimas linhas, se calhar já não tinha colocado o comentário que colocou! tinha percebido logo que não faz qualquer sentido!

se não vejamos como acaba o texto!!!

"...Mas a experiência demonstrou que a nossa denúncia e a luta dos trabalhadores e das populações obrigaram a alguns recuos.
Reafirmamos a nossa oposição a estas estratégias e insistimos na necessidade de ruptura com estas políticas. Defendemos uma outra Europa de coesão económica e social, respeitadora dos direitos dos trabalhadores e dos povos, que aposte na produção e no emprego com direitos, que promova serviços públicos de qualidade, que respeite o direito soberano dos povos a escolherem a sua opção em termos de organização económica, social e política, na defesa da paz e da cooperação com os povos de todo o mundo. "

ora, lendo isto qualquer pessoa percebe que o comentário do Zé Manel está muito longe da realidade! o PCP não quer sair da europa, quer fazer e continuar a fazer o que sempre fez, cá como lá continuar a lutar pela construção de uma outra Europa!!!
Anónimo a 26 de Fevereiro de 2010 às 13:29

", que respeite o direito soberano dos povos a escolherem a sua opção em termos de organização económica, social e política, na defesa da paz e da cooperação com os povos de todo o mundo. "

- Direito de cada país escolher a sua organização económica..., social....e política, aqui está o busílis da questão. Que União é esta? Imagine-se 27 países com uma diversidade deste tipo, como se poderia chamar União! É claro que cada país pode optar por qualquer via, mas tem de haver mínimos que os liguem , a não existirem não faz sentido estar na UE. Voltávamos ao pré- 86, cada país com a sua suas opções e intercambio entre todos.
José Manuel Faria a 26 de Fevereiro de 2010 às 13:51

a união entre povos e estados não é mais união só porque se obriga todos a destruir os serviços públicos , a privatizar os sectores da energia ou dos transportes, ou porque se aplicam nos 27 normas como a famigerada "flexigurança " entre dezenas de outros exemplos que podia dar. Portugal não seria menos Europeísta se pode-se decidir e decidisse que em Portugal o caminho do crescimento económico e da justiça social em território Português não passa pela destruição dos serviços públicos , que não passa pelas parcerias publico-privadas com as consequencias todas que são já conhecidas, que continuará a ser o estado português a definir a presença e apoios militares e a definição de defesa nacional, de não ingerência e não agressão, etc...
união não é colonização, não é clonagem !!! união europeia é união de estados membros , com semelhanças e com diferenças, politicas, culturais, económicas e integração é respeito pelas diferenças, é negociação e compromissos! união europeia não é um novo estado uno!
o que se está a construir é a união do capital e não dos povos, essa é a questão! e dessa o PCP não abdica.
Anónimo a 26 de Fevereiro de 2010 às 14:38

deixe-me corriji-lo!
o PCP é internacionalista e PATRIOTICO! e não nacionalista como escreveu!
Anónimo a 26 de Fevereiro de 2010 às 14:43

Patriotico e não nacionalista olha aqui está uma bela confusão...mas passando á frente.

O PCP nunca aceitou a integração de Portugal na CEE, esta é a realidade, tem-se adaptado, mas as contradições surgem a cada passo.

Mais do que euro-ceptico, o PCP é anti-CEE, e corerentemente deveria exigir a saida de Portiugal da União Europeia, mas tal como noutros aspectos, vide casos de Cuba e Da China, o PCP tem discursos altamente contraditorios, a clarificação seria neste caso mais que justificada.
a.pacheco a 27 de Fevereiro de 2010 às 22:05

Ora já cá faltava a intromissão do A. Pacheco com as suas teses primárias e anti-comunistas para acabar com a discussão.
anónimo a 27 de Fevereiro de 2010 às 22:54

ó Pacheco!!! então patriotico e nacionalista é a mesma coisa!!!?
como diz o outro... Santo Tirso!!!!! tás cada vez pior.... não acertas uma...
Anónimo a 1 de Março de 2010 às 12:12

ó Pacheco, é por isso que não entendes o que o PCP diz e/ou propõe! não sabes a diferença entre patriotico e nacionalista, como é que vais saber ou perceber o resto da coisa!!!!?
Anónimo a 1 de Março de 2010 às 12:15

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





comentários recentes
ja se pode comentar
Perfeitamente de acordo com os comentários.Anterio...
Decisão sensata...
Ó anonimozeco, além de cobarde rateirinho, demonst...
Não há indignados, revoltados,... Totós, ranhetas,...
Que historia é esta de enriquecimento ilícito? Que...
MINISTRA DA COESÃO EM VIZELAOra ora que coincidênc...
Que se passa Dr. Desde Julho que nada publica no s...
Lamento muito, Zé! Abraço.
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO