17
Mai 18

Resultado de imagem para joao ilidio costa

Verificou-se, há pouco mais de três meses, a renúncia de João Ilídio Costa ao mandato de vereador na Câmara Municipal de Vizela. Foi eleito, recorde-se, nas últimas eleições autárquicas, realizadas em outubro de 2017, ao encabeçar, como independente, a lista do PS – Vizela, acabando derrotado. A admissão do cargo de vereador sem pelouros implicou uma prévia resignação: a louvável e voluntária abdicação do direito natural de presidir à direção da Real Associação de Bombeiros Voluntários de Vizela.

Uma análise crítica e ponderada ao teor do comunicado, entretanto emitido, mostra-nos um genial exercício de diplomacia que, com muita similitude ao atribuído ao génio de Almada Negreiros, “se manifesta sem se manifestar”. Respeita-se a postura. É, como tudo indica, uma atitude típica de quem se confronta com um grave dilema, ou seja, o conflito daquele que se sente obrigado a escolher entre duas alternativas que se excluem mutuamente. Nesta eventualidade, apenas e só na certeza destas circunstâncias, se compreenderá que um homem apologista do rigor da verdade, da seriedade e da transparência - assim se apresentou ao eleitorado - restrinja aos seus concidadãos, que também são os seus eleitores, o direito elementar, diria mesmo fundamental, ao conhecimento das verdadeiras e concretas razões que presidiram à sua demissão; unicamente nesta eventualidade, se entenderá como um indivíduo reconhecido, sobretudo por aqueles que, há décadas, com autoridade e conhecimento, lhe traçam um perfil de ator tenaz nas acções e batalhas travadas, repletas de racionalidade, justiça, prudência, coragem e valentia, venha a abandonar um confronto político ainda mal começado. Sem querer sobrepor o meu desejo de uma inequívoca explicação ao seu direito de o fazer quando entender que a deve fazer, estou certo que acabarão a ser explicadas as verdadeiras razões pelas quais teria sido forçado a apresentar a demissão desse cargo, pois não acredito que ele ignore as responsabilidades que, pela força do ato eleitoral de 2017, deve ao eleitorado. Nestes pressupostos, a pergunta que se coloca é: qual o futuro político de João Ilídio Costa? Irá criar um espaço próprio que lhe permitirá apresentar uma candidatura independente nas próximas eleições autárquicas? Irá criar um novo movimento político? Penso que tudo está em aberto. Será prematuro falar, mas nunca despropositado. Creio que o homem não amoleceu, politicamente, ao demitir-se do cargo de vereador (independente) do Partido Socialista (P S). Não é aventureiro, é, bem pelo contrário, um homem equilibrado e muito coerente, pelo que jamais tomaria atitudes arriscadas, precipitadas e desprovidas de séria reflexão. Salvaguardo, no entanto, não conhecer nem ser bom intérprete das suas ambições políticas. Contudo, sabe-se que, pelas constantes inépcias e renovadas estultícias dos partidos políticos, as eleições já não passam apenas pelos partidos. De resto, a projeção política que ele detinha nunca sobreveio do P S. Este apenas a confirmou. Assim sendo, não será de acreditar que ele tenha desaparecido do panorama político, nem creio que seja essa a sua intenção, muito menos a fuga aos problemas. Estou convencido que o seu regresso se irá verificar, para regozijo de uns e de mágoa para outros, e, mais certo ainda, de que muita gente sairá penalizada. Nesse momento, cessará o meu dever de compreensão e solidariedade para com a sua polida decisão de resignação ao cargo de vereador. Nessa instante, estilhaçar-se-ão todos os condicionalismos e obrigações de cunho diplomático, tornando-se claro que os argumentos apresentados dessa demissão, bem como as subsequentes comedidas reações, não passaram de genuínos fait-divers políticos de ocasião. Aguardemos, serenamente, pelo devir histórico. Porém, nessa altura, acredito que as preposições agora enunciadas reverterão, mimeticamente, como realidades nessa contemporaneidade.

Eugénio silva 

publicado por José Manuel Faria às 17:25

3 comentários:
Das duas três: este Eugénio está armado em ser profundamente conhecedor da alma humana imitando a presunção do Armindo Faria ou está a fazer bluff ou está a abrir o caminho para o sr. Costa.
Detestei o estilo.
Anónimo a 18 de Maio de 2018 às 15:18

Não detestes, atrás de mim virá, quem bom de mim fará.
Notícias muito em breve.
Anónimo a 21 de Maio de 2018 às 22:18

Sinceramente não sei como as pessoas perdem tempo com o PS e com os PS e hoje a responder ó ignorante e grosso do Dinis Costa.
Com que então pedir responsabilidades ás técnicas do ambiente? imaginem quem fala assim de quem diz que é como uma filha? estou a referir me à técnica?imaginem se fosse a uma desconhecida/o!!!!!!!!!!!!!!!
E ao Vereador/a e ao Presidente? niclas?
Autorizaste uma funcionária a colocar os animais no antigo matadouro, depois chamaste a e mandas te tirá los todos de lá.
Dinis calado és um poeta.
Tinha o executivo anterior tempo para essas coisas !!!!!!!!!!!
Anónimo a 22 de Maio de 2018 às 21:13

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
31


comentários recentes
Já não estou a perceber nada ????????Então o Armin...
B...quê?não são mais de 17 gajos, com desejos de p...
As falhas parece que estão noutro campo, caro amig...
Outra vez zé manelTudo que seja contra (este) pres...
Na casa do povo era povo ou cenário? só vi lá uma ...
A GENTE, que está a frente do B.E. de Vizela, pelo...
que gentinha sem informação... o problema arrasta ...
mas a noticia interessa para alguma coisa?o que el...
Dizes bem Vitor Hugo, Vizela está diferente, mas t...
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

13 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO